É Tempo de Arrependimento


ARREPENDIMENTO – Ato de afastar-se do pecado, da desobediência e da rebeldia, voltando-se para Deus (Mt. 9.13; Lc 5.32). Em uma acepção mais geral, arrependimento significa mudança de mentalidade (Gn 6.6-7) ou um sentimento de remorso ou de pesar por um comportamento passado (Mt 27.3). O verdadeiro arrependimento envolve um ato de “contrição divina” pelo pecado, uma mudança de atitude, tomando uma direção totalmente oposta. Esse tipo de arrependimento leva a uma mudança fundamental do relacionamento de uma pessoa com Deus. (dib)

É TEMPO DE ARREPENDIMENTO

No passado Deus não levou em conta essa ignorância. Mas agora Ele manda que todas as pessoas, em todos os lugares, se arrependam dos seus pecados. Atos 17.30

No passado, antes do pleno conhecimento de Deus à raça humana através de Jesus Cristo, Deus deixou impune a ignorância humana quanto à sua Pessoa, bem como boa parte do pecado humano (cf. Rm 3.25). Agora, com a plena e perfeita revelação de Deus através da vinda de Cristo, a Palavra de Deus ordena a todos que se arrependam e creiam em Jesus como seu Senhor e Salvador. Não haverá exceção, pois Deus não tolerará os pecados de quem quer que seja. Todos devem abandonar seus pecados, ou serão condenados. O arrependimento, está bem claro, é essencial à salvação (ver Mt 3.2 nota).

A ORDEM É: “ARREPENDEI-VOS”

Desde então, começou Jesus a pregar e a dizer: Arrependei-vos, porque é chegado o Reino dos céus. Mateus 4.17

ARREPENDEI-VOS.
O significado básico de arrependimento (gr.metanoeo) é “voltar-se ao contrário”; dar uma volta completa. Trata-se de abandonar os maus caminhos e voltar-se para Cristo, e através dEle, para Deus (At 8.22; 26.18; 1 Pe 2.25; Jo 14.1,6).

(1) A decisão de abandonar o pecado e querer a salvação em Cristo importa em aceitar a Cristo não somente como Salvador da penalidade do pecado, mas também como Senhor da nossa vida. Por conseguinte, o arrependimento envolve uma troca de senhores; do senhorio de satanás (Ef 2.2) para o senhorio de Cristo e da sua Palavra (At 26.18).

(2) O arrependimento é uma decisão livre, da parte do pecador, possibilitada pela graça divina capacitadora que lhe é concedida quando ele ouve o evangelho e nele crê (At 11.21).

(3) A definição da fé salvífica como mera “confiança” em Cristo como Salvador é totalmente inadequada, ante a exigência do tipo de arrependimento feita por Cristo. Definir a fé salvífica sem incluir um rompimento total com o pecado é distorcer fatalmente o conceito bíblico da redenção. A fé que inclui o arrependimento é uma condição imutável para a salvação (cf. Mc 1.15; Lc 13.3,5; At 2.38; 3.19; 11.21).

A BONDADE DE DEUS LEVA AO ARREPENDIMENTO

Ou será que você despreza as riquezas da sua bondade, tolerância e paciência, não reconhecendo que a bondade de Deus o leva ao arrependimento? Romanos 2.4

Em sua grande bondade, Deus retém o seu juízo, dando tempo às pessoas para que abandonem o pecado. É fácil abusarmos da paciência de Deus e buscarmos aprovação para os caminhos errados em que vivemos. A autocrítica é algo difícil; é ainda mais penoso apresentarmo-nos abertamente a Deus e permitir que Ele nos diga em que áreas de nossa vida precisamos mudar. Porém, como cristãos, devemos pedir ao Senhor que nos mostre os nossos pecados, para que Ele nos possa perdoar e curar. Infelizmente temos a tendência de admirar a paciência que o Senhor tem para com outras pessoas, em vez de nos humilharmos e reconhecermos como Ele tem sido paciente conosco. (beap)

JESUS CHAMA AO ARREPENDIMENTO

E Jesus, respondendo, disse-lhes: Não necessitam de médico os que estão sãos, mas sim os que estão enfermos. Eu não vim chamar os justos, mas sim os pecadores, ao arrependimento. Lucas 5. 31,32

Os fariseus encobriam seus pecados com a respeitabilidade social. Passavam-se por bons praticando boas ações em público e apontado os pecados dos outros. Jesus dedicou seu tempo não a esses líderes religiosos orgulhosos e hipócritas, mas às pessoas que reconheciam seus pecados e sabiam que não eram suficientemente boas para Deus. Para irmos a Deus, devemos nos arrepender; mas para renunciarmos a nossos pecados, devemos primeiramente reconhecê-los.

ARREPENDIMENTO, CONVERSÃO E SALVAÇÃO

Mas anunciei primeiramente aos de Damasco e em Jerusalém, por toda região da Judéia, e aos gentios, que se arrependessem e se convertessem a Deus, praticando obras dignas de arrependimento. Atos 26.20

Paulo não pregava conforme fazem alguns, afirmando que a salvação consiste em “apenas confiar em Cristo e na sua morte expiatória”. Os apóstolos declaram que ninguém será salvo em Cristo, a não ser que “se arrependessem e se convertessem a Deus, fazendo obras dignas de arrependimento”.

O verdadeiro arrependimento se caracteriza pelo completo “abandono” do pecado. Os pecados como que são sepultados; e o resultado disso, na vida diária do crente, é a certeza do perdão e a dedicação às boas obras, que distinguem um indivíduo verdadeiramente regenerado. Esse arrependimento verdadeiro, contudo, é algo impossível sem a atuação do Espírito de Deus.

SUA IGREJA PREGA, ARREPENDIMENTO DE PECADOS?

E que, em nome dEle, a mensagem sobre arrependimento e o perdão dos pecados seria anunciada a todas as nações, começando em Jerusalém. Lucas 24.47

Os discípulos somente deviam pregar o perdão dos pecados juntamente com o arrependimento do pecador. O pregador que anuncia a salvação como uma simples “crença” ou religião fácil, ou uma formal aceitação da salvação gratuita, sem nenhum compromisso voluntário do pecador de obedecer a Cristo e à sua Palavra, está pregando um falso evangelho. O verdadeiro arrependimento inclui o abandono do pecado, i.e., um elemento fundamental e imutável do verdadeiro evangelho neotestamentário (ver Mt 3.2, nota sobre o arrependimento).

| Autor: Pr. João da Cruz Parente | Divulgação: EstudosGospel.Com.BR |


Receba Estudos Biblicos todos os dias!
Cadastre-se seu e-mail! É Grátis
     Digite seu Email Abaixo
Emails Cadastrados

OBS: Não esqueça de confirmar seu email em seguida!