Deus e Suas Promessas

Hebreus 10:23


INTRODUÇÃO:
Deus, na sua soberania, é descrito em todo contexto bíblico como um ser fiel. Esse título o condiciona como o único ‘ser’ que preenche todo o qualquer atributo qualitativo, dando-lhe total credibilidade em tudo quanto é, faz e deseja que venha a se realizar em favor dos seus servos (1 Ts 5.24). No seu relacionamento com o ser humano, no primeiro ato falho do homem para com Ele (Gn 3.15), Deus se vê sem outra alternativa senão iniciar uma série de promessas e trabalhar para torná-las possíveis e realizáveis, no intuito de proporcionar a humanidade o retorno a sua comunhão. Três, entre tantas outras promessas, são destaques nas Escrituras, e revela que Deus tem um tempo certo para cumprir suas promessas.

1. Deus prometeu enviar o descendente da mulher com alternativa para subjugar a serpente que enganou Adão e Eva no Jardim do Éden

Deste o momento em que fez a promessa em Gn 3.15, Deus conduziu todo o processo e passou a dar indicações de como tal promessa se cumpriria. Usando o profeta messiânico (Is 7.14), disse que ‘o sinal seria algo  sobrenatural, inimaginável e nunca visto, pois, uma virgem se engravidaria sem nenhum contato físico com um homem e o filho que nasceria de tal gravidez, seria chamaria Emanuel (Deus conosco). Um dia, mandou o anjo Gabriel falar com um jovem da tribo de Judá (Lc 1.26 – 35) para informá-la de que ela era a escolhida e como isso se daria. Paulo, falando aos Gálatas (Gl 4.4 e 5), disse que tudo aconteceu ‘na plenitude do tempo, momento em que Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a lei, para resgatar os que estavam sob a lei, a fim de que recebêssemos a adoção de filhos’.

2. Jesus prometeu o advento do Espírito Santo

Trazendo a memória de uma profecia do profeta Joel (Jl 2.28 – 32), com a proximidade sua morte, Jesus falando aos seus discípulos, os tornou cientes de que, em um curto espaço de tempo, Ele não estaria mais fisicamente junto a eles (Mt 23.39, Jo 16.10 e 16). Logo ocorreu sua prisão, crucificação, morte e sepultamento. Parecia que tudo voltará à estaca zero! No entanto, Deus não retrocede, pelo contrário, dá sequência para cumprir mais uma de suas promessas tendo em vista uma oração feita por Jesus ao Pai (Jo 14.16 e 17) e sua promessa pessoal de que os discípulos não seriam abandonados (Jo 14.26) e, o processo de preparação e capacitação, mesmo depois de sua partida, seria concluído (At 1.8). Com apenas cinquenta dias após a sua morte, Lucas descreve algo espantoso aos olhos daqueles que haviam exigido a morte de Jesus Cristo, mas, maravilhoso aos olhos dos fiéis que acreditavam que, mais uma promessa se cumpriria (At.2.1, 2 e 4): “...de repente, veio do céu um som, como de um vento impetuoso, e encheu toda a casa onde estavam assentados [...] Todos ficaram cheios do Espírito Santo e passaram a falar em outras línguas...”. Mais uma promessa se cumpriu (At 2.14 – 18)!!

3. Jesus prometeu que estaria presente junto com a Igreja

Essa promessa diferencia a igreja cristã de todas as religiões do mundo. Foi o próprio Cristo quem disse (Jo 14.18ª; Mt 28.20b): “Não vos deixarei órfãos...”; “...Eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém!”. Essa promessa diariamente se cumpre na vida da igreja, a prova disto é a sua expansão e seu poder (Mc 16.15 – 19; Mt 16.18 ‘Pedro = Grego Petra = fragmento de rocha. Pedro aqui representa a igreja que é um fragmento da grande e
firme rocha que é Jesus Cristo’).

4. As promessas de Deus

Analisando as ações divinas para cumprir suas promessas, pode-se concluir que as promessas de Deus: Visam o bem comum dos seus servos (Ml 3.18; Rm 5.3b – 5; 8.28); desperta esperança (Rm 5. 5.2B; Hb 11.13; 32, 39 e 40; Lc 1.13, 26 – 35 e 38; At 1.11 – 14; At 2.1; 1 Pe 1.3); produz unidade (Is 42.8; Jo 4.23; At 2.1B; 2.44 – 47); produz acontecimento sobrenaturais (Mt 1.18 – 22; At 2.3 e 4); faz transbordar o poder de Deus (At 2.4ª); gera confiança, ousadia e promove capacitação (At 2.14 e 41; 4.13 e 31; 2 Co 3.12; Ef 3.12); faz propagar as maravilhas de Deus (At 2.6ª); produz experiências únicas. É inegável que as pessoas que vêem cumpridas as promessas de Deus em suas vidas, passam por experiências únicas! O reavivamento espiritual em pleno século XXI é promessa de Deus!!

CONCLUSÃO
Essas valiosas promessas de Deus continuam sendo válidas para a igreja da atualidade (At 2.39). Basta crer de maneira prática para se visualizar a glória de Deus (Jo 11.40) e continuar aguardando o cumprimento da sua promessa de retorno (Jo 14.1 – 3 e 18; Ap 3.11).

| Autor: Pr J. C. Silva | Divulgação: EstudosGospel.Com.BR |


Receba Estudos Biblicos todos os dias!
Cadastre-se seu e-mail! É Grátis
     Digite seu Email Abaixo
Emails Cadastrados

OBS: Não esqueça de confirmar seu email em seguida!