Confusão no Banco das Testemunhas


Você já observou a proliferação de "apetrechos" de auxílio ao testemunho — braceletes com os dizeres "O Que Faria Jesus?", adesivos, faixas e camisetas com mensagens, símbolos do peixe, etc. — todos destinados a nos ajudar a "testemunhar de Cristo"? Eles se tornaram tão populares que os vemos por toda a parte. Algumas vezes, os eventos esportivos transmitidos pela televisão mostram pessoas no público que aparecem empunhando faixas com o texto de João 3:16. Essas apresentações atingem os objetivos pretendidos? Fazem realmente as pessoas prestarem atenção ao evangelho de Jesus Cristo, ou é possível que uma mensagem totalmente diferente esteja sendo recebida? Estou convencido que, na verdade, levam a atenção para o indivíduo e acabam sendo uma fonte de irritação para aqueles que já são hostis a Cristo!

O que significa exatamente "testemunhar de Jesus Cristo"? Qual é a definição bíblica? Como os cristãos no passado testemunhavam? A não ser que tenhamos uma compreensão clara dessas coisas, é provável que nos desviemos do caminho bem experimentado daqueles que nos precederam. A palavra grega no texto bíblico do Novo Testamento para "testemunhar" é basicamente martyr (de onde provém a palavra mártir). A palavra "testemunha" também é freqüentemente usada como uma tradução da palavra grega martureo. Em um tribunal, as testemunhas são convocadas para dizer o que sabem exatamente sobre o caso em questão. Nos EUA, as testemunhas precisam "jurar"; para isso, colocam sua mão esquerda sobre a Bíblia, levantam a mão esquerda na vertical (com os dedos apontando para o céu) e juram (ou afirmam) que o testemunho que darão é "a verdade, toda a verdade, nada mais que a verdade, assim Deus me ajude". O testemunho é então tomado como o que a pessoa viu e/ou o que sabe sobre o caso que está em julgamento no tribunal. Tudo o que for dito pela testemunha é registrado e algumas vezes pode levar à condenação do réu. Assim, dar um testemunho é algo muito sério e que não deve ser encarado com leviandade. A pessoa que se atrever a demonstrar uma atitude volúvel enquanto estiver testemunhando pode ser repreendida e até punida pelo juiz.

De forma similar, nosso testemunho para Jesus Cristo é algo extremamente sério. Observe que a palavra grega martyr — a base para martureo, ou "testemunhar", é também de onde provém nossa palavra "mártir". Perder a vida pela causa de Cristo não é uma questão frívola e deve indicar a gravidade do nosso testemunho para Cristo. Uma vez que você compreenda esse conceito, um adesivo para carro que diga "Buzine se você ama a Jesus" simplesmente não parece apropriado, não é mesmo? Aproveitando o ensejo, deixe-me acrescentar algumas palavras sobre o uso do nome terreal do Senhor de uma forma tão familiar. Sim, o nome Dele é Jesus — Jesus de Nazaré, para ser exato — mas você acha que mostra a reverência apropriada referindo-se a Ele assim? O nome do meu pai era Vernon, mas por uma questão de respeito, eu nunca o chamava assim, exceto ao apresentá-lo a alguém. Fora de moda? Talvez, mas sinto que a maioria das pessoas é leviana ao usar o precioso nome do nosso Senhor e Salvador. Faça um favor a si mesmo e procure mostrar-Lhe o infinito respeito, temor e honra que ele merece acrescentando "Senhor" antes, ou "Cristo" após o precioso nome de Jesus.

Então, como um cristão testemunha de forma adequada para o Senhor? Para responder a essa questão, quero chamar sua atenção para as últimas palavras do Senhor aos Seus discípulos antes de ascender aos céus. Encontramos estas palavras em Atos 1:8:

"Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria, e até aos confins da terra." [ênfase adicionada].

Observe que o Senhor não lhes disse para participar de uma conferência sobre como ganhar almas, ou seminários do tipo "como fazer" — Ele fez uma afirmação muito positiva dizendo "Ser-me-eis testemunhas." A dinâmica espiritual é encontrada no fato que isso ocorrerá "Quando o Espírito Santo de Deus vier sobre vós!" O cristão cheio e capacitado pelo Espírito Santo de Deus torna-se uma testemunha de Jesus Cristo do primeiro momento de crença até o dia em que morrer! O simples fato que ele identifica-se com Cristo nas águas do batismo faz dele um homem marcado para o resto da vida e ele não pode mais deixar de testemunhar do Senhor, da mesma forma como não pode deixar de respirar. Tudo sobre ele e sua vida — incluindo seu cônjuge e filhos — dá testemunho da realidade da sua profissão de fé. Somos testemunhas — não é algo que nos tornamos por causa de algum apetrecho, adesivos, camisetas, etc. Somos testemunhas 24 horas por dia, 7 dias por semana, 52 semanas por ano — por toda a vida. Compreenda isto — lembre-se sempre, pois há um perigo muito real de nos tornarmos uma má testemunha. Contrariamente ao que muitos acreditam, não há nenhuma opção de neutralidade. Se ficarmos cansados da batalha, não podemos simplesmente ficar neutros e ir para o fundo. O Diabo fará com que nossa retirada da batalha seja observada e, como conseqüência, nosso testemunho ficará prejudicado — mesmo que tentemos nos esconder da melhor maneira possível.

Talvez você nunca tenha observado isso, mas o Livro dos Atos está repleto de exemplos de testemunhos para Cristo e alguns deles são muito reveladores. Ananias e Safira rapidamente vêm à mente como um caso em vista. Para entendermos bem o que eles fizeram, precisamos conhecer as ações anteriores de Barnabé e alguns outros discípulos. Começando no capítulo 4, verso 34, temos:

"Não havia, pois, entre eles necessitado algum; porque todos os que possuíam herdades ou casas, vendendo-as, traziam o preço do que fora vendido, e o depositavam aos pés dos apóstolos. E repartia-se a cada um segundo a necessidade que cada um tinha. Então José, cognominado pelos apóstolos, Barnabé (que, traduzido, é Filho da consolação), levita, natural de Chipre, possuindo uma herdade, vendeu-a, e trouxe o preço, e o depositou aos pés dos apóstolos. Mas um certo homem chamado Ananias, com Safira, sua mulher, vendeu uma propriedade, e reteve parte do preço, sabendo-o também sua mulher; e levando uma parte, a depositou aos pés dos apóstolos. Disse então Pedro: Ananias, por que encheu Satanás o teu coração, para que mentisses ao Espírito Santo, e retivesses parte do preço da herdade? Guardando-a não ficava para ti? E, vendida, não estava em teu poder? Por que formaste este desígnio em teu coração? Não mentiste aos homens, mas a Deus. E Ananias, ouvindo estas palavras, caiu e expirou. E um grande temor veio sobre todos os que isto ouviram." [Atos 4:34-5:5].

Todos sabemos a história sobre como Safira veio mais tarde — sem saber o que tinha ocorrido com seu marido — contou a mesma mentira, e sofreu a mesma punição! Você já se perguntou por que Deus os puniu com tanta severidade? Ei, eles não mataram ninguém! Eles não mataram ninguém, mas certamente enlamearam o testemunho de Jesus Cristo! Eles eram o que chamamos hoje de "imitadores vulgares" — imitavam as ações dos outros em busca de ganho pessoal. Tudo em que estavam interessados mesmo era o louvor dos homens, o que Barnabé e os outros discípulos certamente receberam por causa de suas ofertas generosas. No entanto, eles procuraram aparecer muito mais generosos do que realmente eram. Deus não se deixou enganar pela falsidade deles e os fez pagar caro. Também não podemos perder de vista o efeito que as mortes deles teve sobre os demais discípulos: "E houve um grande temor em toda a igreja e em todos os que ouviram estas coisas." Foi precisamente esse o objetivo que Deus quis atingir!

Não quero julgar, mas honestamente acredito que uma grande parte do "testemunho" superficial que vemos praticado hoje está dizendo, como Ananias e Safira, "Ei, olhem para mim — sou um cristão!" Então, infelizmente, se alguém olha, discerne facilmente uma falta de profundidade espiritual e o resultado é mais prejudicial do que benéfico. Uma vida realmente piedosa deve ser o objetivo de cada um de nós e que essa vida cheia do Espírito Santo não precise de mensagens em painéis eletrônicos e luzes piscantes para chamar a atenção. Realmente depreciamos o Espírito Santo de Deus quando recorremos a essas táticas! Nós mesmos — nossas naturezas carnais — deveriam estar "invisíveis", porque não temos absolutamente nada com o que ajudar os perdidos. Experimente algum dia tentar pescar usando um anzol sem isca! É por isso que a palavra de Deus nos exorta constantemente a sermos cheios do Espírito Santo. Ele é quem testemunha — não nós!

Encontramos outro incidente interessante registrado no capítulo 16 de Atos, que nos dá maior compreensão sobre uma "ajuda" inconveniente no testemunho. Começando com o verso 16, temos o seguinte relato:

"E aconteceu que, indo nós à oração, nos saiu ao encontro uma jovem, que tinha espírito de adivinhação, a qual, adivinhando, dava grande lucro aos seus senhores. Esta, seguindo a Paulo e a nós, clamava, dizendo: Estes homens, que nos anunciam o caminho da salvação, são servos do Deus Altíssimo. E isto fez ela por muitos dias. Mas Paulo, perturbado, voltou-se e disse ao espírito: Em nome de Jesus Cristo, te mando que saias dela. E na mesma hora saiu."

A primeira questão que vem à minha mente é por que o Diabo queria que essa garota possessa por demônios fizesse toda a propaganda gratuitamente? Por que permitir que ela anunciasse ao mundo a verdade absoluta referente à salvação oferecida por Jesus Cristo — aquele a quem ele detesta? Essa tática não parece muito estranha? Na verdade, não é estranha quando consideramos as opções extremamente limitadas abertas a Satanás em sua batalha contra Deus. Ele sabe que seus dias estão contados, mas lutará até o amargo fim na esperança de conseguir reverter seu destino! Satanás também sabe que Deus vai salvar Seus filhos eleitos e não há nada que ele possa fazer para impedir — assim, sendo o salafrário vigarista que é — "contamina" a igreja com falsos crentes. Essa garota possessa por demônios certamente tinha muitas pessoas que a ouviam e acreditavam em tudo o que dizia. Isso deve ser verdade, pois ela dava grande lucro aos seus donos com suas adivinhações — as pessoas pagavam para que ela "adivinhasse a sorte" para elas. Então, quando ela começou a lhes dizer como ser salvos, estou convencido que a "Grande Cruzada em Filipos" do Diabo, usando a jovem como sua principal atração, estava provavelmente tendo falsas conversões! Deus permitiu que essa charada continuasse por muitos dias, e então, quando era hora de dar uma basta naquilo, motivou Paulo a exorcismar o demônio da jovem! Por que Deus permitiu que aquilo continuasse por "muitos dias"? Por que não parou imediatamente? Fica aparente na narrativa que Paulo e seus companheiros precisavam ter um encontro com o carcereiro de Filipos! Deus exerceu Sua soberana vontade e usou o exorcismo do demônio para levantar o ânimo dos senhores da jovem escrava para incitar a violência contra Seus mensageiros. Eles foram subseqüentemente surrados e lançados na prisão, exatamente quando era hora de cruzar o caminho de um dos eleitos de Deus. O carcereiro e toda sua família estavam aguardando a salvação, mas ainda não tinham conhecimento sobre ela! Além disso, a partir desse incidente, podemos ver que Deus permite que o joio cresça no meio do trigo enquanto mais trigo estiver sendo cultivado.

Qual satisfação Satanás obtém contaminando a igreja com falsos convertidos (joio)? De que forma isso promove seu programa nefasto? Para começar a entender o que ele ganha, precisamos compreender que ele detesta Deus e usará qualquer oportunidade para "agredi-lo". E, falando realisticamente, há somente uma avenida aberta para o diabo e essa é atacar os filhos de Deus. Colocando falsos convertidos entre os genuínos, a influência corruptora deles influenciará grandemente e provocará o declínio espiritual entre os irmãos. O pecado resultante, o afastamento e a letargia espiritual que freqüentemente ocorre nas igrejas é ruim o bastante, mas se esse pecado nas vidas dos crentes individuais envolvidos nunca for confessado e abandonado, eles "sofrerão detrimento" (1 Coríntios 3:15). E, essa perda resultante de galardão pelos crentes deixa Satanás realizado e dará testemunho do seu ódio por Deus para sempre.

Por causa dos "ardis do Diabo", precisamos estar alertas constantemente para não cairmos em suas ciladas e arruinar nosso testemunho. Esse testemunho para os outros — é a coisa mais preciosa que possuímos e é nosso dever mantê-lo acima de qualquer reprovação. Nossas vidas serão o único evangelho que muitos verão ou ouvirão e precisamos perguntar: "O que é o evangelho segundo você?" Os outros experimentarão um poderoso ministério do Espírito Santo por meio da sua vida, ou meramente verão (geralmente com desdém) algum apetrecho destinado a chamar a atenção? Não estou dizendo que haja algo intrinsecamente errado com os braceletes, camisetas, adesivos, etc., mas exorto-o a certificar-se que sua vida esteja coerente com sua profissão de fé. Qualquer coisa inferior a isso é superficial e danosa à causa de Cristo.

Autor: Pr. Ron Riffe


Receba Estudos Biblicos todos os dias!
Cadastre-se seu e-mail! É Grátis
     Digite seu Email Abaixo
Emails Cadastrados

OBS: Não esqueça de confirmar seu email em seguida!