Bate Forte o Tambor...


Cantai-lhe um cântico novo: tocai bem e com júbilo. Sl 33.3

Nos últimos tempos, nestes dias que se chamam hoje, tem sido comum o uso dos tambores nas igrejas. Tambores como surdos, tumbadoras, alfaias, timbaus, djembês e os próprios tons da bateria vêm sendo usados com certa freqüência, o uso deles não se restringe apenas a congressos, mas estão presentes em cultos públicos, jejuns, seminários, reuniões de oração, etc. Porque esta invasão dos tambores? O que significam? Qual o propósito? Seria um modismo?

Os tambores têm um propósito espiritual, sempre estiveram presentes na historia da igreja, a ponto do próprio Deus declarar em Isaias 30.32, que julgaria as nações obstinadas, ao som de tambores.

Em todo o mundo eles também estão presentes, sendo ao som deles as maiores manifestações culturais e rituais religiosos, como podemos observar em países como: China, Brasil, Índia, Irlanda, Japão, Rússia, Cuba, Austrália e é claro, toda a África.

Deus declara em Ezequiel, haver uma obra dos tambores e que o diabo era quem a possuía, mas no dia em que se achou iniqüidade nele, esta obra lhe foi tirada.

Alguns estudiosos da bíblia, afirmam que o som de trovoes vindos do trono de Deus, relatado em Apocalipse, são sons de tambores e que o povo recusou subir ao monte com Moises, com medo do som que saia dele, algo ensurdecedor e muito vibrante.

Com base nestes textos, vemos claramente que o uso dos tambores vem de muito tempo atrás, na verdade eles já soavam e soam nos céus, o fato de se estar sendo usado em nossos templos e reuniões, vai muito além de um simples modismo ou invenção do homem, tratando-se de um resgate das coisas que Deus criou e ao longo do tempo nós povo Seu, fomos deixando o inimigo roubar, fomos saqueados nas danças, nos raptemos, roupas e em toda sorte de manifestações artísticas, o fato dos rituais na áfrica, dos tambores na Ásia, das procissões e marchas na Europa e o carnaval no Brasil, serem regidos por tambores, é muito mais uma imitação das coisas de Deus do que outra coisa, pois o inimigo não cria nada, ele copia só Deus tem o poder de criar, logo, ele está lançando mão de algo celestial, que ele conhece bem, para impulsionar suas ações.

Os propósitos dos tambores são: manifestar a santidade de Deus, a glória, o poder e a guerra e Ele tem usado não apenas bateristas e percussionistas, bem como dançarinos, pastores, evangelistas e todo tipo de coração disposto a ouvir a sua voz e cumprir seu propósito através de algo tão poderoso, que é o uso dos tambores.

O diabo os tem usado para: fazer e refazer alianças com o pecado, glorificar as forças do mal, guerrear contra o reino de Deus e o avanço da igreja e mostrar seu poder maligno.

São momentos específicos que Deus tem trazido esta manifestação com os tambores, há horas em que os músicos assim escolhidos para executarem, entendem que é para manifestar a glória, a santidade, o poder ou guerrear em nome de Deus, juntando assim, canções ou simplesmente musicas espontâneas, profetizando cura, libertação, salvação, quebra de cadeias, arrependimento, renovação de alianças com o criador e a derrota dos espíritos malignos na vida dos que os ouvem, em territórios, igrejas e até cidades e países.

Esses são dias em que Deus tem sido bem estratégico uma das suas maiores estratégias é resgatar a arte, pois através dela, muitas vezes usada apenas como entretenimento, podemos passar sua mensagem, declarando todo seu poder e santidade, manifestando sua gloria e guerrear contra as forças do mal, usando nossos corpos, nossa voz, usando todo tipo de som, toda sorte de instrumentos, em especial os tambores, batendo forte e vibrante para o combate!

- Sobre tambores:

Os tambores seriam: bateria, tímpano, tumbadoras, congas, bongôs, surdão, pandeiros, tamborins, repiques, timbales, bumbos.

- Os tambores serviam para:

•Guerras – Is 30.32
•Louvar a Deus – 1 Cr 15.16; 2Cr 5.12
•Trazer a Presença de Deus – 1Sm 10.5,6
•Declarar sua Glória e Grandeza - Ex 15.20

O diabo era o maestro do céu, maestro de um coral que cantava e tocava 24 horas por dia. Ele tocava pífaro, uma pequena flauta de madeira, e tambores, como está em Ez 28.13, mas creio que ele tocasse todos os instrumentos, já que um maestro tem que saber ler todos. A prova disto está em Ap.18.22.

Hoje não há registro no Brasil de um maestro que toque bateria e para se reger precisa-se de total domínio de harmonia e melodia, pois terá que ler todos os instrumentos simultaneamente. Para uma bateria é quase impossível ser o instrumento que puxa ou afina a orquestra, para isto ela teria que ser afinada por notas, para que quando tocada formem-se acordes. “Isto é humanamente impossível segundo um excelente baterista do meio secular.”- Xande Figueredo, já que para isto contaria os seguintes pontos: condições climáticas, acústica, qualidade dos tambores.

Conversei com vários músicos renomados e maestros, todos disseram que não há acústica, nem tambores tão perfeitos capazes de proporcionar isto, já que poderíamos chegar no SI e já não estar batendo com o DÓ, além de que teríamos que obedecer os intervalos de tons, as escalas e seus graus.

Para se formar um acorde simples é necessárias três notas e o mais complicado sete notas. Para um baterista é impossível tocar sete peças de uma vez.

Além do que já citamos acima, queremos passar-lhes a revelação que tivemos e a ministração que recebemos sobre tambores:

A visão que obtivemos é que no céu não havia bateria, pois cada anjo tocava uma peça separadamente, como em escolas de samba, blocos, etc.

A bíblia relata em diversos textos sobre estas peças, conforme já colocamos acima e também relata que há louvor constantemente no céu, alguns bateristas já entendem isto e a primeira vez que tive contato com isto foi com um grande amigo e baterista chamado Lucio de Paula, creio que todos conheçam, porém se não conhecem, ele foi o segundo baterista do ministério Casa de Davi, foi ele quem gravou o CD coração da noiva e é possível ver como ele ministra com os tambores. Ele foi o segundo porque o primeiro baterista do casa de Davi, foi o Rominho, um outro amigo, quem o colocou no ministério, já que Rominho tocava e toca algumas vezes ainda com Asaph Borba. Alem destes dois, há um grande amigo e profeta chamado Fabio Souza que também é baterista e este sim, foi quem ministrou o que chamamos na época de unção dos tambores sobre mim, embora estes três e eu soubéssemos destas coisas, já vimos diversos bateristas fazendo tambores, porém devemos estar cientes que muitos fizeram e fazem movidos pelo grande sucesso que foi o Casa de Davi, mas muitos entendem isto e fazem com muita unção, é claro que também há o lado comercial, pois o Lucio gravou com tambores e isto pode ter atraído muitos a fazerem para ficar “comercial” na época.

- A ministração que recebemos é a seguinte:

Os tambores, ou devemos dizer as peças, representam no mundo espiritual a seguinte ordem:

• Tons, surdo, alfaias, tumbadoras, bongôs, djembes, carrons e todo tipo de tambor, com pele e sons graves (símbolos ressoantes): SANTIDADE
• Pratos, coubel, sino, carrilhão, agogô, triangulo, todas as peças de metal (símbolos sonoros): GLÓRIA
• Caixa, tamborim, repique, peças com sons de caixa, com esteira: GUERRA
• Quem toca- FORÇA

Os três representam os quatro seres sendo SANTIDADE- HOMEM, GLÓRIA- ÁGUIA, GUERRA – CORDEIRO e o quarto que é o novilho é a força na execução das peças, pois o novilho tornar-se o boi selvagem!

| Autor: Luciano e Nadjane Pierre | Divulgação: EstudosGospel.Com.BR |


Receba Estudos Biblicos todos os dias!
Cadastre-se seu e-mail! É Grátis
     Digite seu Email Abaixo
Emails Cadastrados

OBS: Não esqueça de confirmar seu email em seguida!