Arrependimento e Remorso São Duas Coisas Diferentes


Quando o Senhor diz algo somente uma vez todos deveriam prestar atenção. Mas quando Ele repete uma mesma afirmação tintim por tintim no mesmo discurso, a ênfase adicionada não deve de modo algum escapar da nossa atenção!

As frases às quais nos referimos (uma das quais está no subtítulo) e o contexto imediato delas são como segue:

"E, naquele mesmo tempo, estavam presentes ali alguns que lhe falavam dos galileus, cujo sangue Pilatos misturara com os seus sacrifícios. E, respondendo Jesus, disse-lhes: Cuidais vós que esses galileus foram mais pecadores do que todos os galileus, por terem padecido tais coisas? Não, vos digo; antes, se não vos arrependerdes, todos de igual modo perecereis. E aqueles dezoito, sobre os quais caiu a torre de Siloé e os matou, cuidais que foram mais culpados do que todos quantos homens habitam em Jerusalém? Não, vos digo; antes, se não vos arrependerdes, todos de igual modo perecereis." [Lucas 13:1-5].

Aparentemente, Pilatos, o governador romano, tinha executado alguns judeus da Galiléia e, ao fazer isso, "misturou" o sangue deles com o sangue dos animais oferecidos em sacrifício pelos judeus. Provavelmente, essa punição não era incomum, porque o historiador judeu Josefo diz que muitos da região da Galiléia eram "as pessoas mais sediciosas no país". Mas, independente das circunstâncias, a resposta do Senhor provavelmente tomou todos eles de surpresa. Em vez de lamentar o fato de uma morte tão violenta, Ele aproveitou a oportunidade para dar uma lição espiritual fazendo-lhes a seguinte pergunta: Eram aqueles galileus mais pecadores por causa da terrível morte que tiveram? Sua resposta foi imediatamente seguida por uma pergunta similar em que somente as circunstâncias foram diferentes — a de uma torre que caiu e matou dezoito pessoas em Jerusalém. Eram aquelas pessoas mais culpadas do que as outras que viviam em Jerusalém por terem morrido daquela maneira? A segunda resposta Dele foi exatamente a mesma que a primeira!

Os judeus daquele tempo pensavam que, como eram o povo escolhido de Deus, somente os mais ímpios dentre eles sofreriam esse destino. Mas o Senhor corrigiu essa crença errônea informando-os que todos eles morreriam uma morte similar e estariam perdidos eternamente se não se arrependessem. Em outras palavras, à vista de Deus, todos eles eram pecadores condenados e não apenas aqueles que morreram sob aquelas circunstâncias. E o único remédio para a situação era o arrependimento e a crença Nele como o Messias:

"Quem crê nele não é condenado; mas quem não crê já está condenado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus." [João 3:18].

O Senhor sabia que um destino terrível aguardava o povo de Israel. No ano 70, o general romano Tito viria e destruiria Jerusalém e milhares seriam mortos ou levados como escravos. Aqueles que tinham se recusado a receber Jesus como seu Messias morreriam em seus pecados — ficando perdidos para sempre. Entretanto, isso não quer dizer que muitos cristãos não morreram também, mas como eles tinham se arrependido de seus pecados e creram, suas almas estavam seguras em Cristo.

A mensagem que João Batista, o Senhor, e Seus apóstolos pregaram era uma mensagem de arrependimento:

"E, naqueles dias, apareceu João o Batista pregando no deserto da Judéia, e dizendo: Arrependei-vos, porque é chegado o reino dos céus." [Mateus 3:1-2].

"Desde então começou Jesus a pregar, e a dizer: Arrependei-vos, porque é chegado o reino dos céus." [Mateus 4:17].

O apóstolo Paulo disse:

"Por isso, ó rei Agripa, não fui desobediente à visão celestial. Antes anunciei primeiramente aos que estão em Damasco e em Jerusalém, e por toda a terra da Judéia, e aos gentios, que se emendassem e se convertessem a Deus, fazendo obras dignas de arrependimento." [Atos 26:19-20].

Portanto, está fora de questão que a Bíblia ensina o arrependimento como necessário para a salvação — mas o que realmente significa arrepender-se? É meramente sentir remorso ou tristeza pelos pecados cometidos ou algo muito mais profundo do que isso?

Ao longo dos anos, milhões de pessoas têm derramado lágrimas, expressado tristezas por seus pecados e feito profissões de fé. Muitos delas fizeram (e continuam a fazer) obras de penitência para expressar sua sinceridade, enquanto outras sofrem na alma por causa de seus erros no passado e tentam "fazer melhor". Mas um fato triste é que ao longo do tempo, a maioria volta à vida normal e, independente do esforço que façam para serem boas, parece que nunca dura por muito tempo. Qual você acha que é o problema? Elas não estavam contritas o suficiente?

Meus amigos, esses indivíduos nunca nasceram de novo. O arrependimento que está associado com o renascimento espiritual envolve tristeza pelos pecados cometidos, mas também resulta em uma mudança sobrenatural da mente, do coração e de direção! O Espírito Santo de Deus literalmente vem habitar dentro do indivíduo, que passa a ser uma nova criatura:

"Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo." [2 Coríntios 5:17].

Embora o indivíduo retenha a natureza pecaminosa do seu nascimento físico, sua vida não será mais caracterizada pelo pecado pois o Espírito Santo não permitirá que ele sinta prazer no pecado:

"Mas vós não aprendestes assim a Cristo, se é que o tendes ouvido, e nele fostes ensinados, como está a verdade em Jesus; que, quanto ao trato passado, vos despojeis do velho homem, que se corrompe pelas concupiscências do engano; e vos renoveis no espírito da vossa mente; e vos revistais do novo homem, que segundo Deus é criado em verdadeira justiça e santidade." [Efésios 4:20-24].

Se uma pessoa verdadeiramente se arrependeu de seus pecados — no sentido em que o termo é usado na Bíblia — sua vida nunca mais será a mesma. A entrada do Espírito Santo em seu ser interior arruína essa pessoa para o mundo e as "coisas" que anteriormente cativavam sua atenção irão gradualmente perder a atração à medida que ela "crescer na graça e no conhecimento" de Jesus Cristo:

"Antes crescei na graça e conhecimento de nosso Senhor e Salvador, Jesus Cristo. A ele seja dada a glória, assim agora, como no dia da eternidade. Amém."

Esse fato sólido como a rocha das Escrituras caracteriza sua profissão de fé? Você sabe bem no mais profundo interior da sua alma que é uma nova criatura em Cristo, ou ainda tem de admitir que simplesmente tem agido de forma mecânica para evitar embaraços?

Os bebês não são crescidos o suficiente para apreciarem o sabor de certos alimentos deliciosos, mas eles gostam de comer! O mesmo princípio é verdadeiro com relação a um bebê em Cristo. Mas se você sabe que essas coisas estão ausentes de sua vida, não finja ser algo que você não é.

Pregadores zelosos continuam a fazer muito mais mal do que bem ao tentarem dar às pessoas a certeza de que são salvas quando os indivíduos sabem que algo está errado e expressam suas dúvidas. Sei que isso acontece por que agi assim no passado. O desejo de levar outros a Cristo é compreensível e recomendável, mas nunca devemos exagerar ao tentar convencer uma pessoa contra aquilo que ela sente em seu coração. Satanás vai produzir mais do que joio suficiente sem que os cristãos sejam culpados de ajudar e instigar no processo.

Autor: Pr. Ron Riffe


Receba Estudos Biblicos todos os dias!
Cadastre-se seu e-mail! É Grátis
     Digite seu Email Abaixo
Emails Cadastrados

OBS: Não esqueça de confirmar seu email em seguida!