A Doutrina de Jezabel


Eu poderia colocar como subtítulo desta mensagem “O Perigo de Ser Seduzido pela Falsa Doutrina”. Leia Apocalipse 2:18-19 e você verá que o próprio Cristo advertiu a igreja contra a doutrina de Jezabel. “Mas tenho contra ti que toleras a Jezabel, mulher que se diz profetisa. Com o seu ensino ela engana os meus servos, seduzindo-os a se prostituírem e a comerem das coisas sacrificadas aos ídolos” (Apocalipse 2:20). A palavra grega aqui traduzida por Jezabel é sinônima de falso mestre. Ela representa claramente falsas doutrinas. Jesus esclarece o assunto, continuando “...a todos que não têm esta doutrina...” (Apocalipse 2:24).

Aqui está um grupo do povo de Deus, cheio de boas obras e caridade, tendo um tipo de fé e de paciência. Mas o olhar de Jesus aparece no meio deles, fulgurante como chamas de fogo. Mesmo com tudo de bom e recomendável, existe algo muito perigoso acontecendo, algo tão sedutor que Cristo avisa que enviará juízo e fará deles exemplo para todas as igrejas. Alguns membros da igreja estavam a serviço de Satanás. Suas boas obras, caridade, serviço, fé e paciência ficavam obscurecidas pela sedução de uma falsa doutrina. Estavam encantados por um ensinamento falso, disfarçado em verdadeira Palavra, mas que na realidade era mal.

A Sedução dos Servos de Deus

Cristo diz: “meus servos” estão sendo seduzidos, isto é, os ministros. Chegamos à essa perigosa situação sobre a qual Cristo avisou. Há multidões de pastores, mestres e evangelistas inteiramente sob o encanto sedutor da doutrina de Jezabel. Estes mestres seduzidos, por sua vez estão produzindo “filhos da sedução”. Ensinam a prostituição e o consumo de alimento dos ídolos - isto é prostituição espiritual. É comer o alimento demoníaco de doutrinas que justificam o pecado.

Quero dizer de maneira que não reste nenhuma dúvida, que é perigoso dar ouvidos a ensinos errôneos. A falsa doutrina pode condená-lo ao inferno mais rapidamente do que todas as paixões ou pecados da carne. Os falsos pregadores e mestres estão mandando mais gente para o inferno do que todos os traficantes de drogas, gigolôs e prostitutas juntos. Não acho que esta seja uma afirmativa exagerada - creio nisto. Multidões de cristãos cegos, mal conduzidos, estão cantando e louvando ao Senhor em igrejas escravizadas pela falsa doutrina. Milhares sentam-se para ouvir mestres que estão pregando a doutrina de demônios - e ainda saem dizendo: “Não é uma maravilha?”

Cristo não considera esta questão de maneira superficial. Seus olhos estão novamente penetrando a igreja, e Ele vem para advertir, expor e salvar o Seu povo e Seus servos desta terrível sedução. Seria bom que levássemos este assunto a sério. É sério saber que igreja se está frequentando. É sério saber a quem você está dando ouvidos. É sério saber o ensinamento que seu coração está recebendo.

O povo de Deus está se vendendo em liquidação a Satanás por todos os lados ao se entregar nas mãos de falsos mestres e traficantes de falsas doutrinas. Vender-se em liquidação à Satanás nos traz à mente a visão de viciados consumados, alcoólatras, prostitutas afligidas pela AIDS, e por ateus que odeiam a Deus. Não. Está acontecendo na igreja, em convenções e reuniões evangélicas e em grandes seminários de ensino.

A marca do cristão seduzido é ser “levado para todos os lados” buscando alguma doutrina nova, diferente, estranha. A Bíblia adverte: “Não vos deixeis envolver por doutrinas várias e estranhas” (Hebreus 13:9). Não se deixe conduzir de lá para cá, de um lado para o outro. Não nos referimos aqui àquelas vezes em que o crente amadurecido vai à uma outra igreja, que não a sua, para ouvir um verdadeiro homem de Deus pregar a Cristo e o arrepedimento. Referimo-nos aqui a correr de um lugar para outro, de seminário para convenção, de uma igreja para outra, de reunião de milagre para reunião de cura, não tendo raízes. Seus ouvidos estão sempre em comichão para ouvir algo novo, algo sensacional, algo que entretém, algo agradável à carne.

Nós os encontramos na Igreja de Times Square - forasteiros, ervas humanas, cavalgando ventos de doutrinas. Este tipo acaba não retornando porque nos recusamos a coçar ouvidos que têm comichão. Eles desejam ser adulados, e não reprovados. Assim correm de volta aos seus mestres - os suavizadores, os felizes adeptos do pensamento positivo. Eles lembram os atenienses que “de nenhuma outra coisa se ocupavam, senão de dizer e ouvir a última novidade” (Atos 17:21). Paulo avisou a Timóteo “que não suportarão a sã doutrina; pelo contrário, cercar-se-ão de mestres segundo as suas próprias cobiças, como que sentindo coceira nos ouvidos” (2 Timóteo 4:3).

A Doutrina de Cristo

A marca do crente maduro é a recusa em ser “levado ao redor por todo vento de doutrina” (Efésios 4:14). Tais crentes não são manipulados por nenhum mestre. Não têm necessidade de correr de um lado para o outro porque estão crescendo em Cristo. Estão se banqueteando em pastos verdejantes. Circuncidaram os ouvidos, e avaliam cada mestre, cada doutrina, segundo o padrão de santidade de Cristo. Podem discernir todas as falsas doutrinas e repelem todos os ensinos estranhos, novos. Eles aprenderam Cristo. Não ficam presos à música, aos amigos, às personalidades marcantes ou aos milagres, mas à fome pela Palavra pura.

Só existem duas doutrinas. A doutrina de Cristo e a doutrina de Jezabel. Paulo diz: “...a fim de ornarem, em todas as cousas, a doutrina de Deus, nosso Salvador” (Tito 2:10). Qual é a doutrina de Cristo? A graça de Deus ensina-nos que negando a impiedade e as paixões mundanas, devemos viver sóbria, reta e piedosamente, no presente mundo (v. Tito 2: 11-12). A doutrina de Cristo moldará você à imagem de Cristo. Ela trará à luz todo pecado oculto e todo desejo mau.

Será que o seu mestre o repreende com autoridade, falando e exortando-o a abandonar o pecado e a deitar por terra todos os ídolos como lhe é instruido em Tito 2? Você está aprendendo a odiar o pecado de forma veemente? Ou você ainda sai da igreja não convencido de culpa? Você consegue desapegar-se dos pecados de estimação? A mensagem da doutrina de Cristo é: “Purifiquemo-nos de toda impureza, tanto da carne como do espírito, aperfeiçoando a nossa santidade no temor de Deus” (2 Coríntios 7:1).

Muitos nos escrevem dizendo: “Nosso pastor vive dizendo, ‘Não estou aqui para pregar contra o pecado; estou aqui para exaltar a Jesus.” Ou, ‘Nenhuma pregação condenatória sairá deste púlpito - estou aqui para remover o medo e a depressão do meu povo’” Mesmo entre os pastores pentecostais há dois extremos. Alguns berram um evangelho duro e legalista sem amor, de obras; enquanto outros pregam contra o pecado de uma forma acovardada, deixando do jeito que era antes da mensagem. Falso amor e lágrimas de crocodilo.

A doutrina de Cristo é uma doutrina de piedade e de santidade. “Se alguém ensina outra doutrina e não concorda com as sãs palavras de nosso Senhor Jesus Cristo e com o ensino segundo a piedade, é enfatuado, nada entende, mas tem mania por questões e contendas de palavras, de que nascem inveja, provocação, difamações, suspeitas malignas” (I Tim. 6:3-4). Alguns dizem: “Meu mestre fala a respeito de santidade”. Mas não me refiro a simplesmente usar as palavras “santo” e “piedoso”; refiro-me a pregar isso com toda a autoridade. A pregação da doutrina de Cristo traz bênção, fortalece e incentiva você, mas também ela o condena tão profundamente, que você não consegue sentar-se para ouvi-la, e ainda continuar apegado a um pecado secreto.

A Doutrina de Jezabel

Examinemos esta doutrina de demônios e vejamos se você corre perigo de se vender a Satanás. Há três marcas distintas da doutrina de Jezabel. Todas foram encontradas na Jezabel do Antigo Testamento, a mãe e a materialização das falsas doutrinas. Jesus tornou ou seu nome sinônimo de falsa doutrina. Trata-se de uma doutrina que ensina que algo mau pode ser bom, que o profano pode ser puro.

Jezabel, no hebraico, significa “casta, virtuosa, sem idolatria”.Imagine! A mulher mais ímpia, idólatra, maquinadora, odienta de toda a Bíblia chamada de virtuosa, sem pecado. Ou seja, uma coisa muito má com nome de boa. Mas ironicamente é “casta?” - com um ponto de interrogação. Como? Quando? Onde? Como foi que se tornou casta? Quando? Onde?

Agora olhe para Acabe. “Fez Acabe, filho de Onri, o que era mau perante o Senhor, mais do que todos os que foram antes dele. Como se fora cousa de somenos andar ele nos pecados de Jeroboão, filho de Nebate, tomou por mulher a Jezabel, filha de Etbaal, rei dos sidônios; e foi, e serviu a Baal, e o adorou” (I Reis 16:30-31). Acabe significa “alguém como pai” ou “carimbado com a natureza de seu pai”. Jezabel representa a falsa doutrina e Acabe é sua vítima. A Bíblia declara que não bastava que Acabe tivesse um coração inclinado para o pecado, à idolatria e à concessões. Ele traz para sua vida uma influência satânica que o confirmará em seu pecado. “Ninguém houve, pois, como Acabe, que se vendeu para fazer o que era mau perante o Senhor, porque Jezabel, sua mulher, o instigava” (I Reis 21:25).

A mensagem então é que a tendência dos cristãos que se apegam a pecados secretos e à luxúria, abracem uma falsa doutrina que só vai servir para instigá-los e confirmá-los em seus pecados, e acabem contraindo matrimônio com esta doutrina. A última coisa de que Acabe tinha necessidade era Jezabel. Como era perigosa. Ela fez florecer o que havia de pior nele, ampliou isso e destruiu Acabe. Dá-se o mesmo com a falsa doutrina. Se houver algum pecado, paixão ou mundanismo em você, a última coisa de que precisa é uma doutrina que traga à tona o que você tem de pior. Quando Davi pecou com Bate-Seba, ele não precisava de um falso profeta com uma mensagem tranquilizadora para dizer-lhe quanto Deus o amava. Ele necessitava de um profeta imparcial, Natã, com um dedo apontado, clamando: "Tu és o homem." Os que pregam a doutrina de Cristo mostram ao povo a diferença entre o mal e o bem. De seus lábios não sai nenhuma mistura. "A meu povo ensinarão a distinguir entre o santo e o profano, e o farão discernir entre o impuro e o puro" (Ezequiel 44:23).

Ezequiel denuncia esses falsos profetas que se enriquecem trazendo uma mensagem que traz justificativa para o pecado. "Conjuração dos seus profetas há no meio dela, como um leão que ruge, arrebatando a sua presa; eles devoram as almas, tomam tesouros e coisas preciosas, e multiplicam as suas viúvas no meio dela. Os seus sacerdotes transgridem a minha lei, e profanam as minhas coisas santas; não fazem diferença entre o santo e o profano, nem discernem o impuro do puro; de meus sábados escondem os seus olhos, e assim sou profanado no meio deles. Os seus príncipes no meio dela são como lobos que arrebatam a presa para derramarem o sangue, para destruírem as almas, para seguirem a avareza. Os seus profetas têm feito para eles reboco com argamassa fraca, tendo visões falsas, e predizendo-lhes mentira, dizendo: Assim diz o Senhor Deus; sem que o Senhor tivesse falado" (Ezequiel 22:25-28).

Como consequência, temos uma geração toda de crianças confusas que nem podem reconhecer o mal quando o vêem. Os falsos profetas as enganaram. Chamam de bom quando roqueiros de cabelos tingidos de púrpura, vestidos de sadomasoquistas, se pavoneiam e giram sexualmente no púlpito, explodindo seu "rock and roll". Dizem-lhes que o sexo fora do casamento é bom desde que você esteja apaixonado e de fato respeite o parceiro. Pregadores e mestres têm se tornado os maiores defensores do pecado na nação.

A Doutrina de Jezabel Promove a Cobiça

"Porém Nabote disse a Acabe: Guarde-me o Senhor de que eu te dê a herança de meus pais...Então Acabe...deitou-se na sua cama, voltou o rosto, e não comeu pão. Veio ter com ele Jezabel, sua mulher, e lhe perguntou: Por que está o teu espírito tão desgostoso, e não comes pão?...Governas tu, com efeito, no reino de Israel? Levanta-te, e come! Alegre-se o teu coração. Eu te darei a vinha de Nabote, o jezreelita" (I Reis 21: 1-7).

Ouça a doutrina de Jezabel: "Você é o rei. Você tem direitos. Que nada o detenha de obter o que deseja." Ela disse a Acabe: "Alegre-se. Seja feliz. Regozije-se. Eu a conseguirei para você." Esse é o evangelho da prosperidade em poucas palavras: "Não fique triste nem sinta-se condenado por esses desejos que o consomem. Eu consego isso para você." Durante séculos a igreja pregou o sacrifício e denunciou a cobiça, dizendo que é pecado andar atrás das coisas materiais. Mas paralelamente veio a doutrina de Jezabel, dizendo "eu consigo isso para você". Como os métodos enganosos usados por Jezabel, essas doutrinas distorcem e fazem mal uso da Bíblia.

O maior engodo da igreja moderna é a questão de usar a Palavra de Deus para dar um rótulo de aprovação à ganância. Olhando por cima, a doutrina de Jezabel funciona (v. I Reis 21:14-16). Essa doutrina deu a Acabe o que ele desejava. Ele se apossou de seus direitos porque quando um homem era apedrejado por alta traição contra o rei, todos os seus bens revertiam para o rei. Nunca houve dúvida de que para muitos esta doutrina da prosperidade funciona. À semelhança de Acabe, desfrutam de suas possessões.

Mas Acabe não pôde desfrutá-la por causa de um irritante profeta de Deus.

"Então veio a palavra do Senhor a Elias, o tisbita: Levanta-te, desce para encontrar-te com Acabe, rei de Israel, que está em Samaria. Ele está na vinha de Nabote, desceu até lá para tomar posse dela. Dir-lhe-ás: Assim diz o Senhor: Não mataste e tomaste a herança? Então lhe dirás: Assim diz o Senhor: No lugar em que os cães lamberam o sangue de Nabote, lamberão o teu sangue, o teu mesmo. Disse Acabe a Elias: Já me achaste, ó inimigo meu? Respondeu-lhe: Achei-te, porque te vendeste para fazer o que é mau aos olhos do Senhor. Trarei o mal sobre ti, lançarei fora a tua prosperidade, e arrancarei de Acabe todo o homem, escravo ou livre, em Israel" (I Reis 21: 17-20).

Imagine Acabe caminhando pela sua nova propriedade,dizendo: "Como as coisas são boas! Ah, Jezabel, posso não concordar com todos os métodos dela, mas ela consegue tudo o que quer." Porém no seu encalço está o profeta Elias. Acabe vacila, chocado. Ele sabia o que viria. Sua consciência lhe disse: "Já me achaste, inimigo meu?"

Assim ocorre hoje. Deus tem enviado profetas por toda a terra, clamando em voz alta, confrontando a doutrina do materialismo de Jezabel, deixando tão incortável aos cristãos o desfrutar de seus brinquedos e aquisições. Eles se venderam em liquidação. Não podem vê-lo, mas o pecado está por trás de tudo isto. Toda vez que clamo contra a doutrina da prosperidade, sinto sobre mim o espírito e o poder de Elias. Você vai ouvir mais e mais exposição desta doutrina de Jezabel. Por toda parte, vozes proféticas serão ouvidas em alto e bom som, clamando: "É pecado. Você comprou porque se vendeu ao pecado."

Jezabel Odeia os Profetas de Deus e as Profecias de Deus

“Ora, Acabe fez saber a Jezabel tudo o que Elias havia feito, e como matara à espada todos os profetas. Então Jezabel mandou um mensageiro a Elias, e dizer-lhe: Assim me façam os deuses, e outro tanto, se até amanhã a estas horas eu não fizer a tua vida como a cada um deles” (I Reis 19:1-2).

Os cristãos atados pela doutrina de Jezabel não t:êm consideração alguma pelos santos profetas de Deus. Eles ficam friamente impassíveis, como fez Jezabel enquanto Acabe conta em detalhes a milagrosa demonstração da autoridade sobrenatural no monte Carmelo. Ouça o que diz Acabe: “Mas Jezabel, talvez devamos ouvir. Vi com meus próprios olhos. Nossos profetas dançaram e gritaram durante horas, mas não houve poder. Foi só Elias proferir a palavra de Deus e o fogo caiu. As pessoas ajoelhavam-se, inclinadas sobre o rosto, por toda parte arrependendo-se. Afastaram-se de toda idolatria. Deus enviou um reavivamento de santidade.” Mas Jezabel não se deixou impressionar. Ficou porém mais inflexível.

Ainda é assim. Os mestres da doutrina de Jezabel e os que como Acabe são suas vítimas, não estão abertos ao convencimento da parte do Espírito Santo, nem à mensagem de arrependimento e santidade. Ouvem, depois seguem seu caminho mais determinados do que antes. Não há o temor de Deus nestas pessoas.

O sinal mais seguro de um falso mestre e de uma doutrina de Jezabel é rejeitar as advertências proféticas e recusar-se a ouvir falar em juízo. Para eles isso é morbidez e ser condenatório. Riem-se, zombam e ridicularizam. Não têm o mínimo respeito por nenhuma advertência negativa. Jeremias diz que tais pastores são cegos e mudos. O Senhor diz: "Dai ouvidos...Mas não ouviram, nem inclinaram os seus ouvidos; pelo contrário, andaram nos seus próprios conselhos, na dureza do seu coração maligno. Andaram para trás, e não para diante" (Jeremias 723,24).

Os que ensinam a doutrina de Jezabel alegam ser profetas. Mas há uma prova que distingue os verdadeiros dos falsos profetas. Os profetas de Jezabel profetizam sempre boas coisas, apenas paz e prosperidade. "Mas nos profetas de Jerusalém vejo coisa horrenda; cometem adultérios, andam em falsidade, e fortalecem as mãos dos malfeitores, para que não se convertam cada um da sua maldade; todos eles se tornaram para mim como Sodoma, e os moradores de Jerusalém como Gomorra. Portanto assim diz o Senhor dos Exércitos acerca dos profetas: Eis que os alimentarei com absinto e lhes darei a beber água venenosa; porque dos profetas de Jerusalém se derramou a impiedade sobre toda a terra. Assim diz o Senhor dos Exércitos: Não deis ouvidos às palavras dos profetas que entre vós profetizam, e vos enchem de vãs esperanças; falam as visões do seu coração, naõ o que vem da boca do Senhor. Dizem continuamente aos que me desprezam: O Senhor disse: Paz tereis, e a qualquer que anda segundo a dureza do seu coração, dize: Não virá mal sobre vós" (Jeremias 7:14-17). Eles não levam o povo a desviar-se da maldade. Falam de sonhos e agem de modo louco no púlpito. São brincalhões.

A Aliança de Acabe com o Mundo

Acabe arrependeu-se face à pregação de Elias. A mensagem de Elias afetou-o profundamente.Ele rasgou as vestes e, por algum tempo, andou em humildade. Deus chamou a esta atitude arrependimento. “Não viste que Acabe se humilha perante mim?” (I Reis 21:29). Daquele dia em diante ele poderia olhar para trás e dizer: “Arrependimento? Sim. Mediante a pregação daquele grande profeta de Deus, Elias, em meu jardim em Jezreel...” Para ele era uma experiência já passada, e não um caminhar diário. Não durou muito tempo. O problema era que ele havia feito uma aliança com o mundo. Ele estava de acordo com o pecado. Havia se tornado irmão e amigo do mundo. “Irmão”, aqui, significa “afinidade, exatamente igual a mim, alguém que respeito”. Ele estava em aliança com o que Deus havia amaldiçoado.

E também hoje há um arrependimento superficial, apesar de verdadeiro. Se a aliança com o mundo não for rompida, a pessoa voltará ao antigo estado.

Acabe alegava amar a verdade, mas no íntimo odiava a reprovação. Acabe e Josafá foram à guerra contra a Síria. Quatrocentos falsos profetas pregavam sucesso: "Subam e prosperarão. Vocês conseguem." Acontece que havia um profeta solitário contra os 400 falsos profetas. Ouça a exigência de Acabe para ouvir a verdade: "Porém Micaías disse: Tão certo como vive o Senhor o que o Senhor me disser, isso falarei. Vindo ele à presença do rei, este lhe disse: Micaías, iremos a Ramote-Gileade à peleja, ou deixaremos de ir? Respondeu-lhe ele: Sobe, e triunfarás, porque o Senhor a entregará nas mãos do rei. Disse-lhe o rei: Quantas vezes te conjurarei, que não me fales senão a verdade em nome do Senhor?" (I Reis 22:14-16). Mas em seu coração ele não desejava ouvi-la; ele a odiava. Então mandou encarcerar o profeta.

Pastores, professores e toda a congregação hoje dizem: "Desejamos muito a verdade. Pregue-a do jeito que ela é. Vá. Despeje-a. Não importa quanto machuque." Mas em seus corações, alguns estão dizendo: "Sombria demais. Dura demais. Não aguento mais isso"

Acabe estava cego para o fato terrível de que estava sendo guiado por espíritos de mentira. Este espírito mentiroso não era de Deus, mas estava sob o Seu comando. Os espíritos malignos, mentirosos, podem ir ou vir sob a ordem de Deus. Não são de Deus, mas enviados por Deus. "O Senhor pôs o espírito mentiroso na boca de todos estes teus profetas" (I Reis 22:22,23).

Este espírito de mentira levou Zedequias, um falso profeta, a vangloriar-se de que o Espírito de Deus estava sobre ele. O espírito mentiroso que estava nele podia honestamente declarar: "O Senhor me enviou". Espíritos mentirosos são muito persuasivos - "Tu o induzirás" (I Reis 22:22). Acabe estava agora convencido de que estava ouvindo a voz de Deus, e que voltaria vitorioso.

Os cristãos sujeitos pela doutrina de Jezabel estão cem por cento seguros de estarem certos. Não conseguem ver o engano. Acabe não subiu pensando: "Micaías está certo; ele tem a mente de Deus. Os 400 são falsos; não têm a palavra de Deus." Não. Ele subiu totalmente convencido, totalmente enganado, totalmente seduzido. Estava convencido de que Micaías estava errado e os 400 estavam certos.

Por Que Alguns Cristãos Caem Num Engano Destes?

"Eis que vós confiais em palavras falsas, que para nada vos aproveitam. Que é isso? Furtais e matais, cometeis adultério e jurais falsamente, queimais incenso a Baal e andais após outros deuses que não conheceis, e depois vindes, e vos pondes diante de mim nesta casa que se chama pelo meu nome, e dizeis: Estamos salvos; sim, só para continuardes a praticar estas abominações!" (Jeremias 7: 8-10).

Aí está a resposta. Apego a algum pecado de estimação, ou a algum ídolo secreto no coração. Justificativa para o pecado. Um caminhar com o mundo, irmanando-se com ele. Depois vêm à casa do Senhor vangloriando-se: "Não estou condenado". Isso é um convite aberto aos espíritos mentirosos.

|  Autor: David Wilkerson  |  Divulgação: estudosgospel.com.br |


Receba Estudos Biblicos todos os dias!
Cadastre-se seu e-mail! É Grátis
     Digite seu Email Abaixo
Emails Cadastrados

OBS: Não esqueça de confirmar seu email em seguida!