Orar a Deus deveria ser uma coisa simples. Todavia, poucos assuntos precisam de mais esclarecimentos do que a oração. Orar é basicamente apresentar a Deus, mediante Jesus Cristo e com a ajuda do Espírito Santo, nossos desejos, necessidades, confissão de pecados, intercessões, agradecimentos. Seguem alguns pontos sobre oração que penso que são fundamentais e também relevantes para nós hoje.
Durante todo o período antes da morte de Cristo, sacerdotes serviam como intermediários entre homens e Deus. Jesus se tornou sacerdote depois de terminar sua missão terrestre e agora serve nesse papel na presença do Pai. Pense no tamanho desse privilégio - qualquer um de nós que decide se entregar ao Senhor se torna sacerdote e ganha acesso ao Pai! Como seus sacerdotes, vamos oferecer sacrifícios espirituais que agradam a ele, ou seja, vamos nos sacrificar ao Senhor!
Antes de Jesus, houve sim pecado e condenação. Todos pecaram e mereceram a morte espiritual. Paulo diz que a lei do Antigo Testamento mostrou o problema, e que a fé em Jesus Cristo é a solução. Nesta última citação, ele comenta sobre a necessidade do sangue de Jesus para fazer propiciação pelos nossos pecados. Se já existiam meios para perdoar pecados, por que Jesus se sacrificou na cruz?
Quando descoberta a imundícia da lepra, não mediam esforço para se livrarem dela. Pessoas leprosas eram publicamente identificadas e afastadas da congregação para não contaminar outros. Quando as tentativas de purificar as casas não foram bem-sucedidas, foi necessário derrubar casas inteiras para não deixar a praga se espalhar. Devemos ser obedientes a todas as instruções que o Senhor nos deu. E quando a imundícia do pecado invade a nossa vida, devemos agir com urgência para eliminá-lo, mesmo que sejam necessárias medidas radicais.
Sei que este assunto causa medo em quem não tem a certeza de sua salvação; mas o assunto é real e verídico. O inferno é um fato real e verídico. Decidimos-nos nesta vida, onde viveremos a nossa eternidade. O inferno existe! E não é simplesmente o Hades mitológico dos gregos, onde Zeus mandava aprisionar debaixo da terra pessoas para o seu castigo. 
Deus disse - 'Não farás para ti imagem de escultura, nem semelhança alguma do que há em cima nos céus, nem embaixo na terra, nem nas águas debaixo da terra. Não as adorarás, nem lhes darás culto; porque eu sou o SENHOR, teu Deus, Deus zeloso' (Êxodo 20:4-5). Mas depois ele disse - 'Farás dois querubins de ouro, de ouro batido os farás, nas duas extremidades do propiciatório' (Êxodo 25:18). Ele se contradisse?
João afirma - 'Ninguém jamais viu a Deus; o Deus unigênito, que está no seio do Pai, é quem o revelou'. Algumas vezes nas Escrituras encontramos aparições do Pai, mas nunca incluem nenhuma descrição das feições do seu rosto. Deus disse de Moisés - 'Boca a boca falo com ele, claramente e não por enigmas; pois ele vê a forma do SENHOR' - 'Nunca mais se levantou em Israel profeta algum como Moisés, com quem o SENHOR houvesse tratado face a face'. A esperança dos fiéis é de contemplar a face de Deus. Os vencedores terão este privilégio diante do trono de Deus e do Cordeiro.
Pano de saco era um tecido rústico usado em várias aplicações, citado freqüentemente na Bíblia como um tipo de vestimenta. Roupas de pano de saco serviam para comunicar certas emoções ou atitudes às outras pessoas. Em termos gerais, a roupa de pano de saco mostrava a angústia da pessoa.
Uma imagem imperfeita de uma realidade maior. Paulo disse que as coisas do Velho Testamento eram sombra das coisas de Cristo. O tabernáculo dos israelitas era uma sombra da aliança de Jesus. Várias vezes, a Bíblia fala sobre a sombra de Deus. A sombra do Onipotente é a proteção daquele que estende o seu tabernáculo de proteção sobre os fiéis.
Antes de explicarmos o significado da expressão filha de Sião, precisamos também compreender o que significa Sião na Bíblia. A palavra Sião tem pelo menos quatro aplicações diferentes na Bíblia - A fortaleza, o monte, a cidade de Jerusalém ou a terra de Israel e o céu. O uso da expressão filha de Sião aponta em alguns textos para a cidade de Jerusalém especificamente e em outros textos aponta para toda a terra de Israel.
Muitas igrejas continuam seguindo doutrinas do Velho Testamento. Algumas adotam sistemas de sacerdócio do padrão levítico. Outras justificam o batismo de recém-nascidos e muitas exigem o dízimo. Algumas ainda guardam o sábado. Todas essas práticas e doutrinas faziam parte da lei dada ao povo de Israel, mas nenhuma delas faz parte da nova aliança dada por Jesus. O que uma pessoa deve fazer se a sua igreja continua ensinando e praticando doutrinas do Velho Testamento?
Não há uma interpretação precisa a respeito do significado da expressão 'lança o teu pão sobre as águas, porque depois de muitos dias o acharás'. Alguns estudiosos afirmam que esse texto possa se referir à caridade. Aparentemente – lançar o pão sobre as águas – nunca retornaria a nós como um lucro, pois perderíamos esse pão. Porém, ajudando os outros, a bênção voltaria às nossas vidas mais cedo ou mais tarde.