Deus colocou nas mãos de Abigail uma única chance de livramento, e esta sábia mulher soube fazer bom uso desta oportunidade. As sabias palavras que saíram dos lábios de Abigail, não só trouxe preservação das vidas que se achavam em sua casa, mas também impediu que Davi viesse sofre um dano futuro das mãos de Deus contra si e contra seu exército por causa do sangue inocente derramado.
'De uma feita, estava Jesus orando em certo lugar; quando terminou, um dos seus discípulos pediu; Senhor, ensina-nos a orar como também João ensinou aos seus discípulos'. (Lucas 11:1).
Jejum é uma prática muito comum no meio religioso,  todas as religiões existentes, cristãs ou não, usam desta forma de sacrifício para louvar as suas divindades.
Na vida cristã a santidade e a Espiritualidade devem ser realmente compreendidas, para serem seguidas. Caso não adquirirmos uma real compreensão disto, seremos crentes infundados, temporais e vulneráveis a qualquer tipo de investida anti-biblica.
Precisamos estabelecer alvos de crescimento espiritual para as nossas vidas. Precisamos almejar sermos crentes melhores, mais comprometidos com Deus, com a igreja e cheios do Espírito Santo
Quando Jesus diz para orar no nosso quarto em segredo, Ele não está dizendo que é contra orar em público. E quando oramos em público, na igreja ou em casa, devemos sempre nos lembrar de que falamos para Deus ouvir e não para as pessoas ouvirem.
A falta de arrependimento da outra pessoa não é desculpa para não perdoarmos. Em Cl 3:13 diz: Assim como o Senhor vos perdoou, assim também  perdoai vós. A medida do perdão de Cristo é o padrão para o nosso perdão.
'Do mesmo modo também o Espírito nos ajuda na fraqueza; porque não sabemos o que havemos de pedir como convém, mas o Espírito mesmo intercede por nós com gemidos inexprimíveis.'  Romanos 8:26
É interessante observarmos que a Bíblia não contém nenhum mandamento que obrigue a prática do jejum. Entretanto, ela nos mostra que o jejum é um ato de humilhação diante de Deus.
Consagração é o oferecimento de culto a Deus. É um ato de adoração profunda e sincera. Consagrar-se é apresentar-se diante de Deus com as mãos cheias. É ter o que oferecer ao Senhor.
Você está se encontrando com Deus? Que se passa durante seus encontros pessoais com Ele? Sua mente está tão preocupada com tantas atividades que você não pode concentrar-se com profundidade nas Escrituras e na oração?