Um lavadeira arrumou um trouxa muito grande de roupas sujas e desceu para o riacho. Com vergonha de mostrar a sujeira das suas roupas, entrou lá no meio do riacho e afundou a trouxa nas águas, e voltou para sua casa. As roupas foram lavadas? decerto que não. Ela deveria esfregar cada peça com sabão até não ficar nenhum vestígio de sujeira. Da mesma forma se você quer se reconciliar com Deus, entre no seu quarto ou onde puder ficar a só. Ali, ajoelhe-se como se Deus estivesse presente. Conte a ele cada mentira, cada mágoa, cada ódio, seus maus costumes, palavrões imundos - não deixe nenhum pecado sem lavar.
Existem seis armas terríveis que o Diabo usa para paralisar a vida de oração dos crentes que denominamos aqui como os inimigos da oração. São eles - o cansaço, a distração, a inquietação interior, a pressa, o desânimo e a preguiça.
Somos como vasos de barro que se quebram, mesmo estando nas mãos do oleiro. Tal acontecimento nos deixa perplexos e questionamos- 'Se sou filho de Deus, se minha vida está em suas mãos, por quê ele permite que estas coisas aconteçam'? 
Vivemos um tempo em que a grande maioria dos cristãos encontram dificuldades em ter uma vida contínua de oração e comunhão com Deus, porém ao analisarmos os tópicos descritos neste artigo, percebemos a necessidade de rompermos com todos os obstáculos e nos aplicarmos mais a este saudável compromisso diário. A oração perseverante move e abre os céus, trazendo a nós o sobrenatural e consequentemente as coisas grandes de Deus. 'Orai sem cessar'.
Orar com ousadia é ter certeza da vitória, é conquistar algo que muitas vezes deixou de receber, é ter o impossível ao seu dispor. Chore aos pés de Jesus. 
A vida, por um lugar de repouso. Jesus é O lugar de repouso. Ele nos convida a não estarmos preocupados, ansiosos, temerosos, antes que se cumpra em nós essa comunhão diária com o Pai. É fato que muitos de nós, nesse momento, segura cálices cheios nas mãos, que não gostariam de beber: perdas, separações, decepções, desempregos, solidão e por ai vai. Contudo, sobre todas as coisas, está Deus nos oferecendo Seu lugar de Repouso.
Davi em toda a sua vida procurou manter acesa a chama da sua intimidade com Deus. Isso foi fundamental na vida de Davi e mesmo no período de sua queda moral, o relacionamento de Davi com Deus, não se dissipou. Davi verdadeiramente foi exemplo de um homem amigo de Deus. Nada poderia destruir esse elo entre Davi e o SENHOR. Infelizmente ainda existem muitas pessoas que estão na igreja, mas ainda resistem a Deus em seus corações. Nunca buscaram ter um relacionamento mais profundo com Deus. Não parecem com Deus, não andam como Deus espera que andem.
Nós precisamos de Deus. Esse clamor deve ser direcionado para o Pai. A Bíblia diz que, quando Jesus orava, olhava para o alto e dizia: Pai, eu sei que tu sempre me ouves! Por isso que, quando clamamos, sabemos que Deus nos responde. Queridos, somos uma Geração de Justos, que aprendemos a gritar diante do Senhor, crédulos que Ele nos ouvirá e mudará a nossa sorte. Ele mesmo curará a nossa ferida, ligará as nossas enfermidades, encherá de alegria a nossa casa, e romperá de glória a nossa história.
Na última aula destacamos que Paulo aprendeu a se contentar com o que tinha em todas as circunstâncias, tendo em vista que a fonte da sua alegria era Cristo, não as condições materiais, nem mesmo a oferta dos filipenses. Hoje nos voltaremos para a apreciação do Apóstolo em relação à contribuição daqueles irmãos. Mostraremos que ele recebeu o suprimento como um sacrifício agradável a Deus, colocando o foco não nele mesmo, mas em Deus, sendo Este o Único digno de honra e glória.
O jejum é tão bíblico que fazia parte da rotina de vida do povo de Deus tanto no Antigo como no Novo Testamento. Deus não quer sacrifício e sim obediência porque 'obedecer é melhor do que o sacrificar'. O que importa mesmo no jejum é a qualidade da consagração. É indispensável a dedicação e concentração total durante o jejum. Desde que o jejum seja feito com meditação na Palavra de Deus, oração e adoração não importa o tempo de duração.
Humilhar a si mesmo é posicionar-se na condição de servo, executando estritamente a ordem do seu Senhor. Humilhar a si mesmo é abrir mão da própria vontade para executar a vontade de Deus a exemplo do que Cristo fez.  Ao deixar a Sua glória, o Verbo eterno submeteu-se à sua própria decisão, mas quando na carne, abriu mão de sua vontade para sujeitar-se a vontade do Pai, se fez servo, o que é humilhar a si mesmo.
Será que as palavras que pronunciamos sublinham o que fazemos, ou nossos atos gritam tão alto que ninguém quer ouvir o que temos a dizer? Como o fruto do Espírito em Gálatas 5.22 tem nove facetas, Provérbios 3 é uma unidade, mas nos apresenta nove regras bem práticas para nossa conduta cristã.