Estudo Bíblico Guardando Minha Coroa


TEXTO
'Eis que venho sem demora; guarda o que tens, para que ninguém tome a tua coroa.' Apocalipse 3:11

INTRODUÇÃO
A antiga tradição eclesiástica atribui unicamente este livro ao apóstolo João. João era tão bem conhecido por seus leitores que a sua autoridade espiritual era tão amplamente reconhecida que ele não precisou estabelecer suas credenciais.

As evidências em Apocalipse indicam que o livro foi escrito durante um período de extrema perseguição aos cristãos, que possivelmente tenha começado com Nero depois do grande fogo que quase destruiu Roma (julho de 64 d.C) e continuou até seu suicídio (julho 68 d.C).

O objetivo da mensagem do Apocalipse é fornecer estimulo pastoral aos cristãos perseguidos, confortando, desafiando e proclamando a esperança cristã garantida e certa, junto com a garantia de que, em Cristo, eles estavam compartilhando o método soberano de Deus de superar totalmente as forças do mal em todas suas manifestações. O Apocalipse também é um apelo evangelístico a todos aqueles que estão atualmente vivendo no reino das trevas para entrar no Reino da luz.

João recebeu essas profecias através de uma série de visões vividas contendo imagens simbólicas e números que aparecem como um eco das revelações encontradas nos livros proféticos no Antigo Testamento. João registra estas visões em ordem cronológica conforme o recebimento, e não na ordem cronológica conforme a ordem na quais determinados acontecimentos históricos deve acontecer.

Dentro desse livro tão místico e incompreendido por muitos, e pregado por poucos temos as sete cartas enviadas às sete igrejas da Ásia, e dentro das sete cartas encontramos uma endereçada à igreja da Filadélfia, e dentro da carta a igreja da Filadélfia temos um versículo que nos chamou a atenção.

Por isso tenho o costume de pedir a cada leitor que abra seu coração para que uma nova porção da mensagem de Deus entre em íntimo.

AS CARTAS AS SETE IGREJAS DA ÁSIA

Logo no início do livro Apocalipse observamos o Senhor revelar a seu servo amado João, sete cartas endereçadas a sete igrejas da Ásia, que hoje seria a região da Turquia, no oriente médio.

Então de uma forma sucinta vamos analisar cada carta e em uma visão direcionada observar algumas características de cada igreja para que possamos entender a mensagem que neste contexto o Eterno quer nos revelar.

Estas cartas seguem a forma de decretos reais ou imperiais, começando com a palavra “diz”. Estas cartas foram escritas num formato padrão, ou seja, saudação, posição do Senhor Jesus, avaliação da igreja, um apelo a uma ação, e uma promessa de uma recompensa aos que vencerem, mas o conteúdo de cada carta é específico relatando as necessidades de cada igreja.

A necessidade de sete cartas diferentes talvez seja uma forma de respeitar a autonomia de cada igreja e suas características, e numa visão profética também a de advertir as atuais igrejas.

As sete igrejas da Ásia se encontravam em um diâmetro aproximado de 500 quilômetros, relativamente uma área pequena. Satanás estava muito ativo e operante na Ásia quando o Senhor enviou as sete cartas às sete igrejas.

AS SETE CARTAS

CARTA A IGREJA DE ÉFESO

“A igreja que havia abandonado o seu primeiro amor”

Éfeso era a cidade mais importante da província Romana da Ásia. Era situada perto do mar Egeu e duas estradas importantes cruzavam Éfeso, uma seguindo a costa litorânea e a outra continuando para o interior, passando pela cidade de Laodicéia. Portanto Éfeso teve uma localização importantíssima tendo contato entre os dois lados do império Romano, a Europa e a Ásia.

Historiadores calculam a população da cidade de Éfeso no primeiro século entre 250.000 e 500.000, sendo Éfeso conhecida também como o foco principal de adoração a deusa da fertilidade de nome Diana.

A igreja de Éfeso era rodeada por religiões falsas e sujeitava-se a homens maus, e assim precisava examinar todos os ensinamentos e rejeitar todas as falsas doutrinas, precisava demonstrar um amor verdadeiro para vencer o mal eminente. O grande problema da Igreja de Éfeso não era a questão da doutrina correta, mas sim a falta de um amor verdadeiro.

CARTA A IGREJA DE ESMIRNA

“A igreja que sofreria perseguições”

Esmirna, uma cidade situada aproximadamente a 65 quilômetros ao norte de Éfeso. Esmirna era uma cidade antiga de uma região habitada durante milhares de anos antes de Cristo. Durante o domínio Romano, Esmirna se tornou um centro de idolatria oficial, conhecida como Guardião do Templo (Grego). Foi a primeira cidade da Ásia a construir um templo para adoração ao imperador Tibério. Na praça principal da cidade foram descobertas imagens de Posêidon, deus grego do mar, e também de Deméter, deusa grega da ceifa e da terra.

Na época Esmirna provavelmente tinha uma população de cerca de 100.000 habitantes, sendo uma cidade prospera por facilitar o comércio entre a Ásia e a Europa. Apesar de morarem em uma cidade próspera os cristãos de Esmirna eram pobres, provavelmente discriminados por causa de sua fé, e é possível também que tivessem sacrificados seus recursos em prol do crescimento da igreja.

CARTA A IGREJA DE PÉRGAMO

“A igreja que precisava se arrepender”

O único livro da bíblia que cita a cidade Pérgamo é o Apocalipse. Em 190 a.C., Pérgamo ganhou independência dos Selêucidas e passando a fazer parte do império romano a partir de 133 a.C. Durante mais de 200 anos, Pérgamo foi a capital da província romana da Ásia. Foi o povo de Pérgamo que passou a usar peles de animais para fazer os pergaminhos ao invés do papiro.

A igreja de Pérgamo se encontrava em uma situação complicada, pois por todos os lados os vizinhos praticavam a idolatria e davam honras a governantes romanos, e tantas influências de falsas doutrinas tiveram um impacto muito negativo na igreja, contaminando a congregação com falsas doutrinas que faziam os cristãos praticarem muitas imoralidades espirituais, assim Jesus chama a igreja ao arrependimento para evitar um castigo divino. Qualquer doutrina que incentive a idolatria e a imoralidade vem de satanás.

CARTA A IGREJA DE TIATIRA

“A igreja que tinha uma falsa profetiza”

A cidade de Itatira situava-se no caminho entre Pérgamo e Sardes. Lídia foi a primeira pessoa convertida pelo Apóstolo Paulo era de Tiatira (At,16:14), mas o que sabemos da igreja de Tiatira vem das referências contidas no livro do Apocalipse.

A cidade de Tiatira era conhecida pela produção de púrprua, que era uma tinta de alto valor usada em tecidos, também artigos de cerâmica e bronze. Em Tiatira havia muitos elementos religiosos de influência pagã e como outras cidades da época ela também teve seus templos religiosos a falsos deuses como Apolo, Tirimânios e Artemis, e um santuário a Sibila.

Jesus olha e vê tudo e faz uma distinção absoluta entre os servos de Satanás e os servos fiéis do Senhor, e para os que insistem em servir a satanás, Ele promete a tribulação e a morte, e para os discípulos fieis do Senhor, Ele promete a sua presença e a honra de reinar com Ele sobre os inimigos.

CARTA A IGREJA DE SARDES

“A igreja que tinha adormecido”

A cidade de Sardes considerava-se impenetrável e estava situada em uma rota importante a quase 500 metros acima da planície, nos rochedos íngremes do vale Hermo. Era considerada uma cidade próspera, devido ao ouro encontrado em um ribeiro que passava pela cidade e pela produção de lã, tecidos, pedras preciosas e prata.

Apesar de ter a reputação de ser uma igreja forte e ativa, Jesus viu falhas e sabia que aquela congregação já estava quase morta e se a igreja não voltasse a viver o amor verdadeiro e a verdade da palavra do Senhor, então seria tomada como se faz o ladrão. O problema da igreja de Sardes não foi a ausência de obras, mas a falta de integridade delas.

No caso do povo desobediente de Sardes, eles teriam de se arrependerem para voltar às boas obras de obediência para com o Senhor Jesus

CARTA A IGREJA DE FILADÉLFIA

“A igreja que tinha sofrido pacientemente”

A cidade de Filadélfia gozava de uma localização estratégica de acesso entre os países antigos de Frigia, Lídia e Mísia. Foi fundada pelo rei Pérgamo chamado Átalo, cerca de 140 a.C. Átalo foi conhecido por sua lealdade ao seu irmão e assim dando origem ao nome da cidade, Filadélfia que significa “Amor fraternal”. A região produzia uvas e o povo honrava Dionísio, o deus grego do vinho. Era localizada em um vale entre Pérgamo e Laoudicéia.

Filadélfia foi destruída por um terremoto em 17 d.C. e reconstruída pelo imperador romano Tibério.

Assim como a carta a Esmirna, Jesus não faz críticas nenhuma. A igreja de Filadélfia era uma congregação fraca e limitada, mas que dependia única e exclusivamente de Deus.

CARTA A IGREJA DE LAODICÉIA

“A igreja que tinha uma fé morna”

A cidade de Laodicéia situava-se no vale de Lico, onde encontramos também as cidades de Colossos e Hierápolis.

Em Laodicéia se produzia a lã negra, rara e de alto valor financeiro, e também havia ali uma medicina avançada que produzia um colírio muito miraculoso. Laodicéia era o centro econômico da época, pois ali se encontrava os bancos monetários. Isso tudo fez com que a igreja se tornasse orgulhosa e assim distanciando do verdadeiro amor da palavra do Senhor.

Nesta carta Jesus não condenou a igreja por práticas idólatras, mas sim por seu orgulho e auto-suficiência, ela exaltou-se ao invés de humilhar-se diante do grande Senhor.

ESMIRNA E FILADÉLFIA

Entre as sete cartas escritas às igrejas da Ásia no livro do Apocalipse, encontramos duas que não contêm nenhuma crítica. A primeira é a carta a igreja de Esmirna, que era uma congregação pobre e enfrentava grande perseguição, mas que entregavam seus bens para ver a igreja crescer. A outra é a carta a igreja em Filadélfia, uma congregação fraca e limitada, mas que viviam na dependência de Deus.

Hoje vemos os homens medindo força para mostrar quem é o mais rico, o mais poderoso, e por isso que o Senhor nunca olha para o que está por fora, mas Ele valoriza o que está dentro do coração, que é o caráter.

A IGREJA EM FILADÉLFIA

“A igreja que tinha sofrido pacientemente”

1. Filadélfia que significa “Amor fraternal”.

O nome dado a esta cidade provinha da fidelidade entre dois irmãos, algo que hoje podemos dizer que seja coisa rara. A Igreja de nossos dias tem se mostrado cada vez mais infiel para com a vontade suprema de Deus. Hoje o que vale é os interesse dos grandes pseudos líderes, que fizeram da igreja um patrimônio particular e assim sustentam seus prazeres, ostentando carros luxuosos, mansões magníficas, e outras tantas propriedades que ao de darem contas a Deus. Os olhos do Senhor Eterno estão a procuras das igrejas de Filadélfia pela terra, mas a cada dia isso fica mais difícil.

Hoje os pregadores já entram nas igrejas com envelopes com valores estipulados e ainda dizem para os pastores que vão dividir o lucro. Onde estão as igrejas de Filadélfia? Onde estão as igrejas que prezam pelo amor fraternal?

2. A região produzia uvas de grande pureza.

Bem sabemos que dentro da simbologia bíblica o vinho também significa a alegria, e mesmo sendo a cidade de Filadélfia como as demais, na maioria um povo ímpio adorador de imagens, com uma forte devoção a Dionízio (deus do vinho), a igreja deveria ser uma igreja cheia de alegria por ser a noiva do cordeiro. Mas ao invés de vivermos a verdadeira alegria de estarmos na terra, a alegria das igrejas de hoje se transformou em competição. Hoje nossa geração está trocando a adoração por shows gospel, e não bastasse a mensagem geral é a teoria da prosperidade e não mais a necessidade da salvação.

3. Filadélfia foi destruída por um terremoto em 17 d.C. e reconstruída pelo imperador romano Tibério.

Um terremoto é com certeza um acontecimento trágico, pois trás destruição e tragédia, mas mesmo sendo destruída aquela cidade se levantou. Com certeza um exemplo fenomenal para a igreja da época, que deveria se levantar a cada luta, a cada batalha, pois o Senhor estava com a igreja. Devemos saber que nossas vidas não são somente mares de rosas, mas também mares de lutas, batalhas. Precisamos nos erguer todos os dias e darmos glória ao nome do grande Deus de Israel. A igreja não pode ficar prostrada a cada luta que enfrenta, mas saber que a vitória em certa.

CONCLUSÃO
Jesus não faz críticas nenhuma a igreja de Filadélfia, uma congregação fraca e limitada, que vivia entre idólatras e profanos, mas Ele vê que a igreja dependia única e exclusivamente de Deus.

A igreja de Filadélfia vivia em um tempo difícil, mas sempre conservando sua integridade na dependência do poder do Eterno Senhor dos senhores. Que nós possamos assim como a igreja de Filadélfia conservar nossa dependência em Deus, pois hoje vivemos entre muitos pecadores, profanos, ladrões, assassinos de almas, pregadores da prosperidade, homens da pior qualidade de caráter.

Jesus falou que cedo Ele virá, e que mesmo em meio a tantas lutas e em meio a tantos profanos, devemos conservar a nossa coroa, que nos foi dada por Jesus quando cumpriu sua missão na terra morrendo na cruz. Agora vem a segunda fase da missão do Senhor Jesus, buscar a igreja fiel, que vive em sua dependência total e exclusiva. Eu te espero nesse dia. Deus te abençoe ricamente.

| Autor: Pastor Alexandre Augusto | Divulgação: EstudosGospel.Com.BR |


Receba Estudos Biblicos todos os dias!
Cadastre-se seu e-mail! É Grátis
     Digite seu Email Abaixo
Emails Cadastrados

OBS: Não esqueça de confirmar seu email em seguida!