A Glória da Transfiguração


E foi transfigurado diante deles; o seu rosto resplandecia como o sol, e as suas vestes tornaram-se brancas como a luz. Mateus 17:2.

O que nós sabemos sobre a transfiguração de Jesus Cristo? Para entendermos um pouco sobre este assunto tão importante, creio que é sempre bom tirarmos os nossos olhos de tudo o mais e olharmos somente para Jesus. A palavra “transfiguração” no grego é “metamorphóomai”, que significa “transformar”, “transfigurar”. Nós só podemos compreender a transfiguração de Jesus a partir da Sua encarnação. “O Verbo se fez carne e tabernaculou entre os homens, cheio de graça e de verdade”. Quando o Filho de Deus veio a este mundo, Ele tomou sobre Si a carne humana e essa carne serviu como um véu sobre Ele. Por esta razão, enquanto estava na Terra, quando os homens olhavam para Ele, viam apenas um Homem. Não viam a glória do Filho de Deus porque Ele estava coberto pelo véu. Aquele véu que cobria a Sua glória, era a Sua carne. Lemos em Hebreus 10:20 pelo novo e vivo caminho que ele nos consagrou pelo véu, isto é, pela sua carne.
 
O mundo não podia ver Sua glória como a glória do Unigênito do Pai. O que o mundo via era Ele como homem natural, mas Sua glória moral como o Filho do Homem não podia também ser ocultada. Marcos 7:24 Levantando-se, partiu dali para as terras de Tiro e Sidom. Tendo entrado numa casa, queria que ninguém o soubesse; no entanto, não pôde ocultar-se.

Durante toda a Sua vida, Jesus estava sob aquele véu. Apenas uma única vez em Sua vida aquele véu foi aberto e a Sua glória brilhou por meio da Sua carne humana, e essa vez foi no monte da transfiguração. Foi apenas por um período curto de tempo e, então, aquele véu caiu sobre Ele novamente até que foi rasgado na cruz do Calvário. Lembramos-nos que, quando Ele foi crucificado, o véu no templo foi rasgado em dois, de alto abaixo e, então Sua glória foi manifestada plenamente. É por isso que a obra da cruz é tão necessária, mas os discípulos queriam um Cristo sem cruz. Pedro queria um Cristo sem cruz. Mas, o Senhor está mostrando que não haverá Cristo se não houver cruz; não haverá igreja se não houver cruz. O Senhor sempre mostrou aos seus discípulos do principio do Reino, que não há glória sem sofrimento. Vamos ler Atos 14:22b. Exortando-os a permanecer firmes na fé; e mostrando que, através de muitas tribulações, nos importa entrar no reino de Deus.
 
Antes de qualquer coisa o nosso Senhor Jesus foi ao monte para orar e ter comunhão com Seu Pai. Podemos imaginar que naquele monte Jesus estava em plena comunhão com o Seu Pai e era a respeito do Seu Êxodo, da Sua partida da Terra. Na encarnação, Ele entrou nesta Terra; e agora, estava tendo comunhão com o Pai com respeito à Sua partida, de como seria. Jesus era de tal forma um com o Pai que, enquanto estava orando, inconscientemente, a glória que havia estado velada dentro d`Ele foi exposta. Ele foi transfigurado, Seu rosto resplandeceu como o sol. Suas vestes se transformaram e se tornaram brancas como a luz, refulgentes. A Sua glória rompeu através da Sua forma humana, ou seja, a forma de Deus surgiu por meio daquele corpo na forma de um servo. E aconteceu que, enquanto ele orava, a aparência do seu rosto se transfigurou e suas vestes resplandeceram de brancura. Lucas 9:29.

O monte da transfiguração foi um evento muito importante na vida do nosso Senhor Jesus e tem muito a ver conosco. Quanto ao Senhor Jesus, Ele poderia ter partido do monte da transfiguração. Mas, se Jesus houvesse feito isso, haveria somente um homem no céu, mas apenas um homem; ninguém mais. Mas, nosso Senhor Jesus recusou ter Seu Êxodo do monte da transfiguração. Não fez isso por causa de Si mesmo, mas em nosso favor. Sabia que se partisse daquela forma, Sua vida inteira sobre a Terra não poderia salvar ninguém. Isso condenaria a todos porque o homem deveria ser condenado. Ele preferiu, antes, partir do monte da transfiguração para o Calvário, para poder levar muitos filhos à Glória. João 12:24 Em verdade, em verdade vos digo: se o grão de trigo, caindo na terra, não morrer, fica ele só; mas, se morrer, produz muito fruto.
 
A partir da cruz, Jesus poderia ir para o trono, porque agora Ele levaria muitos filhos à glória. Hebreus 2:10 Porque convinha que aquele, por cuja causa e por quem todas as coisas existem, conduzindo muitos filhos à glória, aperfeiçoasse, por meio de sofrimentos, o Autor da salvação deles.

No monte da transfiguração quando os discípulos acordaram totalmente e viram que Moisés e Elias iam se retirando, Pedro ficou desesperado. Estava muito bom estar ali e não desejavam que Moisés e Elias partissem. Então, ele falou precipitadamente sem saber o que dizia: Ao se retirarem estes de Jesus, disse-lhe Pedro: Mestre, bom é estarmos aqui; então, façamos três tendas: uma será tua, outra, de Moisés, e outra, de Elias, não sabendo, porém, o que dizia. Lucas 9:33.
 
Pedro gostaria de estar ali para sempre, isto era o céu. No entanto, subitamente, uma nuvem os cobriu, e eles ficaram assombrados. Esta nuvem não era uma nuvem comum; era uma nuvem brilhante. Era o “Shekinah” da Glória de Deus. Quando a glória de Deus aparece, é como uma nuvem brilhante, isto é a “Shekinah”. A Glória de Deus os cobriu e uma voz disse: Falava ele ainda, quando uma nuvem luminosa os envolveu; e eis, vindo da nuvem, uma voz que dizia: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo; a ele ouvi. Mateus 17:5.

Este é o meu filho amado em quem tenho todo o Meu prazer; a Ele ouvi. Este não é o tempo para que você fale, mas o tempo para que você ouça. Pedro não entendia o Reino. O Reino de Deus é Cristo supremo, Jesus somente. Isto é o Reino de Deus. No Reino de Deus, não se vê Moisés nem Elias; não se vê João ou Tiago. No Reino de Deus, apenas vemos Jesus. Ele é o Reino de Deus. Quando cremos em nossa morte e ressurreição com Cristo, somos filhos do Reino, pois o Reino de Deus que é Cristo vem habitar dentro de nós. Nem dirão: Ei-lo aqui! Ou: Lá está! Porque o reino de Deus está dentro de vós. Lucas 17:21.
 
Jamais podemos colocar Moisés e Elias no mesmo patamar do nosso Senhor Jesus. Pedro honrou Moisés e Elias. Todos os judeus honraram Moisés e Elias. Mas, não podemos honrá-los no mesmo nível com que devemos honrar o Senhor Jesus. Quando Pedro falou com respeito aos três tabernáculos, Deus dispensou Moisés e Elias imediatamente, dizendo: “Saiam”! Por quê? Porque ninguém pode estar na mesma condição que o amado Filho. Ele é o Único; Ele é supremo. Devemos adorá-lO, contemplá-lO, ouvi-lO! Isto é o Reino. Se quisermos conhecer o que é o Reino de Deus, é Jesus somente. Portanto, quando a nuvem os deixou, não viram a mais ninguém senão a Jesus. A transfiguração de Cristo teve um efeito notável na vida de Pedro, pois ele viu a Majestade do Senhor Jesus. Mas nós mesmos fomos testemunhas oculares da sua majestade, pois ele recebeu, da parte de Deus Pai, honra e glória, quando pela Glória Excelsa lhe foi enviada a seguinte voz: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo. Ora, esta voz, vinda do céu, nós a ouvimos quando estávamos com ele no monte santo. 2 Pedro 1:16b.-18.

A mensagem que Pedro nos transmite é o Reino de Deus e ela tem o fundamento naquele monte da transfiguração. Por causa daquilo que lhe foi mostrado, ele estava desejando morrer, ser crucificado. Este foi efeito daquela visão em Pedro. Agora, qual é a nossa visão? Graça e Paz.
|  Autor: Claudio Morandi  |  Divulgação: estudosgospel.Com.BR |


Receba Estudos Biblicos todos os dias!
Cadastre-se seu e-mail! É Grátis
     Digite seu Email Abaixo
Emails Cadastrados

OBS: Não esqueça de confirmar seu email em seguida!