Feliz Ano Novo! Um Desejo Que Pode Não Significar Nada


Feliz Ano Novo!?

Quantas vezes alguém já desejou a você um Feliz Ano Novo e, no entanto, o seu ano foi uma lástima? Quantas pessoas já foram honradas com felicitações como, tenha um ano cheio de paz, saúde e amor e ao final do ano teve na lista retrospectiva, Guerras, enfermidades e ódio? Não há nenhuma contradição nisto; simplesmente porque não está na frase proferida ou o desejo de felicidades ao semelhante uma diretriz ou um elemento contundente para o norteamento de sua vida.

Felicitações, uma benção maior para o emitente

Desejar “Feliz Ano Novo” produz muito mais efeito na vida de quem está felicitando do que na pessoa que está recebendo; isto porque, o emissor, ao desejar boa sorte ao seu próximo, está extravasando aquilo que flui do seu interior. Jesus disse: “Mas o que sai da boca vem do coração, e é isso que contamina o homem” (Mt 15.18). Ainda sob outro aspecto o “felicitador” é abençoado: A lei da semeadura.“Tudo quanto, pois, quereis que os homens vos façam, assim fazei-o vós também a eles; porque esta é a Lei e os Profetas” (Mt 7.12). Pelo outro lado, a pessoa que recebe os votos não verá nada acontecer se não proceder de forma que os desejos de felicidades se realizem.

Não adianta alguém receber votos de um bom trabalho, sucesso no concurso e saúde e não sair à luta em busca de emprego, estudar para a prova e parar de fumar. Nestes casos, não há desejo que se realize. É muito comum também desejar: “Deus te abençoe e te dê tudo em dobro”. Neste caso, o perigo é ainda maior. Se os desejos valem mesmo, então se deve ter todo cuidado porque os resultados dependerão da atitude de cada um. O pastor Silas Malafaia, pregando em Campo Grande, falou o seguinte: “Deus reage muito mais às nossas atitudes do que age usando a soberania do Seu poder”. Isto também é semeadura.

Os desejos condicionais

Nas festas de Ano Novo, ao som de música ambiente, as famílias, amigos e colegas de trabalho, igrejas se reúnem para comer e beber (alcoólicas ou não), conversar e reprisar lances que devem ser relembrados, ou tratados ou esquecidos. As conversas acontecem e não faltam espaços para os assuntos particulares e desvendamentos de alguns mistérios. Estas reuniões podem terminar bem ou mal; em clima altamente agradável ou “cemitérico”. Ao final, quando as pessoas começam a deixar o ambiente começam as felicitações que dependem dois lados, de quem emite e de quem recebe.

Não adianta um colaborador desejar sucesso ao seu colega, se no ano novo continuar escondendo dele a fórmula, o desenho, o caminho, o “macete”, ou “o pulo do gato”.

Não adianta desejar sucesso ao chefe se não estiver disposto a trabalhar todos os dias da semana mesmo no período do verão carioca no quiosque da praia.

Um chefe terá o seu desejo de sucesso ao seu subordinado anulado, se não inserir o nome dele na lista dos concorrentes.

O marido que deseja felicidades à sua esposa amada deve corresponder no seu dia-a-dia, ajudando-as em suas tarefas.

Um membro de igreja, ao desejar vitória ao seu pastor, deve estar disposto a ser um fiel colaborador.

Felicitações de baixo teor

Nas caixas coletoras de correspondências se acumulam inúmeras cartas de felicitações de Ano Novo com baixo teor de calor humano; são os votos automatizados. Com o recurso da informática, a secretaria redige uma carta, leva para o presidente assinar ou coloca uma logomarca dele, imprime a quantidade necessária e os envia através de mala direta. Neste caso, muitas vezes, o “emitente” não conhece todos os endereçados.

Felicitações oportunistas

Existe um grupo grande de emitentes interesseiros de felicitações, são os oportunistas que aproveitam o clima para obter vantagens. São os que pretendem pedir alguma coisa no decorrer do ano; os enamorados que ainda não conquistaram o coração do seu amor; certos comerciantes; e, os ousados e os políticos rostos-de-madeira apresentando-se como amigo.

Felicitações enóquicas

Para constar, resolvi inserir o meu tipo de felicitação. Desejo, de coração, a todos os meus leitores, um Feliz Ano de Novo, cheio de boas realizações, sucesso e comunhão com Deus! Mas, com certeza, estes três desejos só se realizarão na sua vida você: Vigiar, trabalhar e buscar a presença de Deus. “Todas as coisas são lícitas, mas nem todas convêm; todas são lícitas, mas nem todas edificam”. (1 Co 10.23);“Tudo quanto te vier à mão para fazer, faze-o conforme as tuas forças, porque no além, para onde tu vais, não há obra, nem projetos, nem conhecimento, nem sabedoria alguma.”(Ec 9.10);”Buscai o SENHOR enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto.”(Is 55.6).

EU DEPENDO DA GRAÇA DE DEUS.
|  Autor: Enoque Rodrigues Nogueira  |  Divulgação: estudosgospel.com.br |


Receba Estudos Biblicos todos os dias!
Cadastre-se seu e-mail! É Grátis
     Digite seu Email Abaixo
Emails Cadastrados

OBS: Não esqueça de confirmar seu email em seguida!