A Síndrome da Roda de Hamsters


O movimento de rotação da Terra é o giro que o planeta realiza ao redor de si mesmo, ou seja, ao redor do seu próprio eixo no sentido anti-horário, de oeste para leste, e tem duração aproximada de 24 horas. Esse movimento faz a terra girar em torno do Sol a 107.000 Km/h ou 30 km/s. O movimento de translação da terra acontece durante um período de 365 dias 24 horas da terra. O sol por sua vez é uma estrela de quinta grandeza que segue o ritmo de outras estrelas e planetas, num movimento intenso universal.  Tudo que acontece no planeta segue um processo de vida e morte; dia e noite; nasce à semente... Morre a semente... Nasce... E dela projeta-se a vida na terra num ciclo. Nascem pessoas e outras morrem, esse é o processo natural do mundo.

Nessa roda viva estamos nós andando pelo espaço na nave terrena girando pelo espaço e não nos apercebemos disso. Todo homem vive nesse ritmo intenso geográfico do movimento global. Portanto, o líder cristão deve manter a visão perceptível na meta maior de sua vida para não sofrer a ilusão de ótica que afetam a todos os habitantes do planeta. Principalmente os que estão ocupando a função de líderança em qualquer esfera na mídia podem ser afetados pela síndrome da roda de hamsters.
 
O sistema global desse mundo eu o comparo como uma roda de Hamsters chamada mídia. (Hamsters é um esquilo da família dos roedores cuja gaiola tem uma roda onde ele corre atrás do nada). Olhe a beleza ao redor. Tudo são encanto e beleza. O mundo segue o padrão geográfico, gira em torno do seu próprio eixo. Entra dia e sai noite... Dias... Semanas... Meses... Anos. É um circulo vicioso que ilude aqueles que ocupam posições de liderança, pois entram necessariamente dentro dessa roda de hamsters. Dentro dela, é tentado correr como um esquilo numa roda viva sem sair do lugar.

Quem ainda não ouviu esse ditado do século XXI. “Os dias estão cada vez mais curtos”. Nada disso. O mundo continua sendo mundo desde a sua fundação. Quem assim vive sem se aperceber acaba iludido pela mídia global.
 
A mídia global é um paradoxo; é como uma roda imaginária e ao mesmo tempo real, pois cria a sensação de estar correndo (de fato o está) atrás de algo quando na verdade é uma corrida atrás do vento que acompanha o movimento do planeta em redor do seu próprio eixo. A mídia global causa o impacto na sociedade contemporânea, sendo considerada como o 4º poder.
 
A explosão dos meios de comunicação, principalmente dos fenômenos chamado televisão e internet colaboram com a disseminação deste termo. O giro dessa esfera ilusória segue o mesmo ritmo do globo no plano físico. Imagine quantos quilômetros essa esfera roda em torno do seu próprio eixo? Dizem os entendidos em comunicação social, quem quer chegar ao sucesso em qualquer área profissional deve entrar na roda viva da mídia global.
 
Quem quer se projetar, deve entrar na fila para girar na roda de hamsters principal. Para isso muitos se preparam com suas “rodinhas hamsters midiáticas” que são aconselhados desde o berço para ser treinados e no futuro entrarem na roda principal. Começam a treinar para aguardar a oportunidade de subirem na roda giratória principal que os vai levar a algum lugar onde encontrarão o tão almejado sucesso profissional.
 
A analogia da Roda de Hamsters é simples de ser compreendida. A mídia confunde os fatos da realidade com os valores da qualidade. Os valores são construídos na subjetividade de quem está sendo influenciado pela mídia enquanto os valores são construídos na subjetividade de quem ouve, não são apercebidos pela mídia. Exemplo: A mídia tem divulgado apenas o lado dos fatos no meio dos atos. A subjetividade cria valores. A mídia global não se importa com valores, se alimenta de fatos.
 
Não há menção na mídia sobre os valores subjetivos que a fé evangélica cria no coração dos fiéis, pois a fé é a percepção da realidade divina no coração do homem que tem uma experiência única com Deus. A mídia projeta a verdade e a mentira, nesse aspecto ela é imparcial, pois deduz os fatos midiáticos tanto de um lado como de outro.  A forma como recebemos a mensagem diferencia de uma pessoa para a outro.  Quero dar um exemplo.  Um líder evangélico que se utiliza da mídia para discordar do outro e utiliza de palavras de baixo calão, a mídia percebe que o líder expoente criou um fato pelo seu ato. Sabe que aquele fato faz girar a roda, e o diabo usa o fato como espécie de dínamo para fazer o líder usar energia e girá-la mais intensamente.
 
Então a ilusão de ótica embota os sentidos espirituais do líder na mídia e ele pensa que está fazendo um bem, quando na verdade está criando um circo. Todo circo tem expectadores. O ritmo vai aumentado de intensidade que cansa, pois quanto mais se utiliza da mídia com esse tipo de atitude mais giro, mais fatos que fazem sucesso na mídia, mais cansado quem criou o fato. Até a roda ficar descontrolada pelo impulso e lança fora o líder que a fez girar.  É cômico, se não fosse trágico. O diabo sabe que o ibope dos fatos, alimenta a força centrifuga da roda de forma descontrolada.

No começo da década de setenta a banda Be Gees lançou um disco que fez muito sucesso, O nome da canção era I Starde A Joke (Eu comecei uma piada) é interessante observar a letra na tradução para o português.
 
“Eu comecei uma piada, que fez o mundo inteiro chorar... Mas eu não vi que a piada era sobre mim. Eu olhei para o céu, passando as mãos sobre meus olhos, e eu caí da cama, ferindo a cabeça com coisas que eu disse. Até que eu finalmente morri, o que fez o mundo inteiro viver. Oh, se eu apenas tivesse visto que a piada era sobre mim... Até que eu finalmente morri, O que fez o mundo inteiro viver Oh, se eu apenas tivesse visto que a piada era sobre mim... Oh não! Que a piada era sobre mim... Oh!...”.
 
O autor na letra da canção repete o refrão “Oh, se eu apenas tivesse visto que a piada era sobre mim... Oh não!”.
 
Há gente que gosta de palhaçadas, e riem muito diante do fato cômico exposto. Os lideres evangélicos que são afetados pela síndrome da roda de hamsters não se apercebem e não se sentem frustrados porque que consideram sua pobreza de pensamentos midiáticos como riquezas, pois estão de alguma forma projetando o seu ministério pelo giro da roda.   Começam com seriedade, e não sabem que ficarão expostos como palhaços do circo que armaram. Não souberam caminhar na roda de hamsters. Criaram convicções, foram usados pela mídia, mas no final se perderam na caminhada e foram motivos de chacotas.
 
Então?... Devo entrar ou parar diante da roda? O que aconselho a quem entrar nessa roda principal é o seguinte: Olhe para fora da “gaiola”, do planeta terra em linha reta rumo ao infinito e veja o céu azul, e perceba que há um alvo supremo.

(Colossenses 3:1-2) “... Portanto, se já ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus. Pensai nas coisas de cima, e não nas que são da terra...”.

Nessas três ultimas décadas eu tenho visto a vida de pastores que estavam  no circulo giratório da mídia global e serem lançados pela ação de seus atos que criaram fatos. A velocidade foi tanto que foram atirados de forma violenta.  Parafraseando a canção dos Bee Gees... “Olharam para o céu, passando as mãos sobre os olhos, e caíram da cama, ferindo a cabeça com coisas que disseram”...
 
Alguns que sobreviverem à queda compreenderam o tamanho de sua insensatez de estar na roda como um esquilo dando vida àquilo que criaram pelos seus atos e pensavam que se parassem, morreriam como um roedor, correndo atrás do vento; presos numa gaiola correndo dentro de uma roda. Se caíssem dentro da roda seriam atropelados por ela. E se pulassem? Não existia essa hipótese, o jeito era continuar correndo. Até que a roda os venceu e foram jogados para fora como se joga uma laranja depois que foi sugada num espremedor de frutas.
 
Quem exerce um cargo de liderança na mídia, não faça desse planeta a gaiola na vida terrena por pensar que entrando afoito nessa roda de Hamsters vai te levar a algum lugar. O Evangelho de Mateus nos conta que o diabo o levou Jesus perto da roda da Hamsters de sua época, o lugar mais alto do templo para que se lançasse do alto da torre e fosse reconhecido por todos. Jesus foi tentado para que pulasse do pináculo e que anjos viriam socorrê-lo para que a profecia do Salmo 91; 11 que diz “Porque aos seus anjos dará ordem a teu respeito, para te guardarem todos os teus caminhos, eles te sustentarão, em suas mãos para que não tropece teu pé em pedra...”.

Assim seria visto e reconhecido como o Messias. Um fato espetacular seria evidenciado. Todos iriam  reconhece-Lo como Messias. Pra que caminhada para a cruz, se o pináculo lhe traria a glória. Jesus não cedeu à tentação. Ele preferiu o anonimato e o caminho estreito sem se preocupar com a roda midiática de sua época. Preferiu a caminhada segura, e no momento certo, a roda do seu tempo o anunciou.
 
Ele estava tranquilo na sua ultima viagem a Jerusalém no final do seu ministério terreno. O rosto como seixo a caminho do Gólgota. Não queria aplausos nem brilho no pé dos holofotes da mídia, apenas caminhou. Existem no mundo dois tipos de  lideres. Cada um deles cria uma “rodinha midiática de hamsters” de treinamento, esperando o momento de ir para a roda maior. O dia que conseguem adentrar vive dentro dela correndo... Correndo... Criando fatos. O primeiro é aquele que se utiliza da roda de Hamsters e mantém seus olhos apenas na roda. Acaba por ignorar a força centrífuga do que as faz girar.  Esquecem que o movimento da roda vem pela energia de suas passadas.
 
As passadas dão ritmo seguro para que nos momentos que tiver de sair não tenham corrido em vão, e tenham como sair dela no momento certo. Usar a roda com verdades de Deus cria fatos que constroem valores de Deus no coração de quem os ouve.

O segundo tipo de líder é aqueles que subiram ou subirão na roda e foram e poderão enganadas por ela. Não se apercebem que os seus atos é o dínamo que fará a roda girar com maior intensidade. Quanto mais atos, mais fatos.
 
Bem... Devo ou não subir na Roda? Pense nos fatos que quer que sejam evidenciados pela mídia, mas sem perder a visão do lado de fora da roda, olhando para o infinito. Sempre mais alto, sabendo que na hora em que descer da roda é porque é momento de sair para outros darem sequencia no trabalho que iniciou. Pode caminhar nessa roda, mas não faça em vão. Saiba aproveitar o teu momento de energia para alcançar outros de forma ordeira construindo valores no coração das pessoas.
 
Se por ventura você entrar na roda, ande se sem os ritmos alucinantes provocados pela ilusão de ótica da mídia global.
 
Aqueles que entrarem na roda principal da mídia e forem lançados fora da roda  é porque foram iludidos pela mídia; se sobreviver à queda e acordar terá a oportunidade de aprender a duras penas a olhar para o infinito e viver na gloriosa liberdade dos filhos de Deus. Bem, é melhor viver livre do que preso numa gaiola correndo como esquilos roedores sem sair do lugar olhando apenas para o instrumento de sua caminhada “pífia”. O líder evangélico precisa aprender quando é seu momento. Se por ventura entrar na roda, deve aprender que a mídia global leva fatos que cria consciência espiritual no coração das pessoas. O significado maior da vida ministerial é a construção da caminhada em comunhão com Deus; a construção dos valores da palavra de Deus na vida ministerial e assim construir riquezas espirituais no coração de seus expectadores.
 
|  Autor: Pedro Luiz Almeida  |  Divulgação: estudosgospel.com.br |


Receba Estudos Biblicos todos os dias!
Cadastre-se seu e-mail! É Grátis
     Digite seu Email Abaixo
Emails Cadastrados

OBS: Não esqueça de confirmar seu email em seguida!