Por que o mal existe? Por que inocentes sofrem? Se Deus é bom, por que permite tantas abominações? A questão do mal é um dos maiores temas da humanidade.
Antes de ser jogado aos cães, entretanto, o vizir fez um último pedido. Precisaria de dez dias para sanar algumas pendências pessoais. Depois de ter a certeza de que o vizir não ia tentar fugir, o sultão lhe concedeu o pedido.
Ao refletir sobre o choro de Jesus, percebo que muitas vidas estão a mercê de nossas lágrimas. Precisamos ir ao  encontro de Deus, carregando no coração a firme intenção de interceder pelos que sofrem  a dor da vida e da morte.
Jesus pode, às vezes, surpreender-nos. Sua vontade pode nem sempre ser aquilo que podaríamos esperar ou desejar, mas para quem iremos?  Somente Jesus tem as palavras de vida eterna.
Quando falamos mal de alguém, quando praticamos maledicências espalhamos penas do alto de um monte e a única maneira bíblica de restituirmos o que saiu de nossas bocas seria o trabalho impossível de recolher as penas de volta para o travesseiro. E mesmo se conseguíssemos tal façanha o travesseiro jamais seria o mesmo.
Ao menos que você coloque as pedras grandes em primeiro lugar dentro do vaso, nunca mais as conseguirá colocar dentro. As pedras grandes são as coisas importantes de sua vida: sua espiritualidade, sua família, seus amigos, seu crescimento pessoal e profissional.
Diferente do que possa opinar a maioria dos evangélicos, o ser humano não é essa criatura maravilhosa, cheia de valor intrínseco, um ser virtuoso de invejável caráter. Infelizmente, muitos dos nossos pastores estão dominados pela autolatria e apresentam o homem como uma criatura que, de tão maravilhosa, fez com que Deus se apaixonasse por ela, sendo ele mesmo (o homem) merecedor de toda honra e glória.
Em algumas igrejas hoje, já não existe a prática da Palavra de Deus como outrora. A EBD (Escola Bíblica Dominical) foi desativada em nome de uma VISÃO, o conhecimento está relegado, o culto de doutrina esvaiu-se, agora só se prega aos domingos no culto da noite lembrando que pregação é diferente do ensino...
'Embora a esta altura já devessem ser mestres, vocês precisam de alguém que lhes ensine novamente os princiípios elemtares da palavra de Deus. Estão precisando de leite, e não de alimento sólido.' (Hebreus 5.12)
Os servos do Senhor, homens chamados pelo Espírito Santo e lavados no Sangue do Senhor Jesus, necessitam dar uma atenção muito especial às palavras que proferem, pois, estão cheios da autoridade de Deus; e o mau uso da língua pode trazer sérios danos sobre sua própria vida ou de outrem.
'Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo'. (II Corintios 5:17)