Devido a cegueira espiritual causada pelo deus deste século, não é dada às pessoas do mundo a visão da verdadeira liberdade, da verdadeira alegria, e da verdadeira vida.
Deus não é indiferente ao mal que acontece no mundo. Ele se importa com a violência étnica, a repressão política, a perseguição religiosa, o abuso infantil, a violência contra a mulher e todos os tipos de exploração.
Como suportamos as dificuldades do dia a dia? De que modo as tragédias que enfrentamos afetam a nossa confiança em Deus? Quando a vida fica difícil, o que fazemos?
É estranho que os mesmos críticos que comem tantas coisas no jantar, sem antes procurar saber sua origem, querem passar fome espiritual por exigirem da fé cristã explicações que estão além da compreensão humana.
Quando Deus interrompe a ordem de sua criação, Ele viola o que chamou de bom (Gênesis 1.31). Esta visão supõe que sempre que um suposto milagre é rigorosamente examinado, o examinador sempre achará que não há evidências suficientes ou há explicações alternativas possíveis.
Ao justapor duas alternativas radicais - vida e morte - as Escrituras nos dizem qual efeito podemos causar aos outros.  Através de palavras difamatórias, podemos destruir todo o bem que uma pessoa tenha feito ou inalar nova vida em outra pessoa ao falar palavras de esperança e encorajamento.
Estamos vivendo um período sem precedentes, uma época crítica, injusta e confusa, principalmente no meio do povo que se diz "de Deus". Acusações ferinas, críticas sem fundamento, setas que ferem o coração de quem não merece; falta de respeito e bom senso...
De repente, para surpresa daquele filho, o pai puxa de lado os longos cabelos negros de sua esposa e o filho observa, pela primeira vez que sua mãe não tinha mais orelhas.
“Ainda que a minha carne e o meu coração desfaleçam, Deus é a fortaleza do meu coração e a minha herança para sempre” (Sl 73.26). Quando João Batista recebeu no cárcere a confirmação de que Jesus Cristo era realmente o Messias aguardado, teve condições de esperar sua execução sem se desesperar, com o coração consolado.
Assim como Caim matou Abel (Gn 4:16) porque ele era um urubu invejoso, assim como os espias que foram a Canaã (Nm 13:25) homens com visão de urubu, estão enchendo as igrejas.
O caminho do perdão é necessário se quisermos seguir a Cristo, se nos denominarmos cristãos devemos nos assemelhar ao mestre e este mais do que ninguém se sentiu traido, pois fora aqueles que criou e amou, o levaram a morte tão cruel. Mas mesmo assim, orou por eles pedindo perdão.


Receba Estudos Biblicos todos os dias!
Cadastre-se seu e-mail! É Grátis
     Digite seu Email Abaixo
Emails Cadastrados

OBS: Não esqueça de confirmar seu email em seguida!