Reflexão Caminhos de Pedras e Filhos de Abraão


“ ...Até destas pedras pode Deus suscitar filhos a Abraão.” Lucas 3:8

Fé e pedras. Caminhos que se contrastam pelas leis da física, química, das coisas visíveis e invisíveis. João Batista, apontou para as pedras à beira do Rio Jordão e disse que delas, Deus poderia suscitar filhos de Abraão. Do imobilismo, palidez, frio e insensibilidade, algo novo e bom nasceria. Quem disse que pedras não podem ter coração? Que pulsa, aquece e se engradece pela força das águas que lhes toca?

Hoje acordei pensando nas pedras e de quanto elas me fizeram erguer fortalezas. Nove anos se passaram, desde que perdi a visão do olho direito. Lembro de como minha vida foi impactada por esse acontecimento. Fui virada ao avesso, perdi tantas coisas que julgava importantes e aprendi que aquilo que não valorizava, na verdade, era de uma riqueza sem par!  Fazer uma caminhada contemplando jardins e sorrir para pessoas, abraçar quem amava (e sempre esteve próximo e por isso não percebia a falta)... por dias não pude fazer nada disso. Caminho de pedras que se voltavam em minha direção tornando a via e a vida dolorosa.

Ajuntei pedras, arrumei-as em um canto sabendo que contaria uma nova história, desde que delas, Deus me fizera filha de Abraão. Aprendi que quando não há flores, nem sombra, nem beleza no caminho, ainda assim é possível enxergar de uma forma diferente. É possível enxergar, quando não se pode enxergar, porque os olhos dos filhos de Abraão vêm além, de eternidade em eternidade, onde somente o Espírito de Deus pode conceder esperança e certeza. Se hoje você caminha em via dolorosa, ajunte as pedras, elas podem se tornar em filhos de Abraão.

E hoje também, se completa um ano de meu bem sucedido transplante de córnea. Obrigada, meu Deus! Por ter me surpreendido com mais essa graça, eu que não mereço; às vezes  a pedra sou eu: sem voz ou ouvidos, falando e fazendo o que não devia. Mas Tú és Aquele que não pode negar a Si mesmo e continuas fiel, mesmo quando somos infiéis ( II Timóteo 2:12,13).

“Entre pedras que me esmagavam, levantei os meus versos” Cora Coralina

Não esqueçamos que Deus à Aquele que das pedras, pode suscitar filhos de Abraão. De momentos ruins, dolorosos, tristes, das pedras Ele faz firme fundamento para se construir novo edifício, quem sabe, uma simples casa, contudo o que se fará de novo é o que nos tornará melhores e mais felizes. A esse Deus Único, vivo e real, rendamos glórias e louvores, amém.

| Autor: Wilma Rejane | Divulgação: estudosgospel.Com.BR |


Receba Estudos Biblicos todos os dias!
Cadastre-se seu e-mail! É Grátis
     Digite seu Email Abaixo
Emails Cadastrados

OBS: Não esqueça de confirmar seu email em seguida!