Reflexão A Proclamação do Reino de Deus


O domínio pleno de Deus sobre os homens foi interrompido quando aconteceu o primeiro pecado humano. Mas esse governo seria restabelecido no futuro. O reino de Deus viria. Seu significado inclui sua justiça. Esta possui duas faces: uma boa e uma ruim. Depende de qual lado você está em relação a ela. A justiça é boa para aqueles que são atendidos e vêem suas causas defendidas. Entretanto, ela é negativa para os réus condenados, aqueles que foram alcançados pela sua punição.

Assim, o advento do reino de Deus, em sua consumação na segunda vinda de Cristo, será um fato glorioso para aqueles que se renderam ao Senhor, mas será um dia terrível para aqueles que o rejeitaram. Entretando, nada disso acontecerá sem aviso. Todos esses fatos foram anunciados durante toda a história da humanidade. Primeiro pelos profetas, depois, de forma especial, por João Batista, que proclamou o reino e o juízo. Em seguida, veio Jesus, o próprio Rei, para anunciar o reino. Quando ele subiu, encarregou os apóstolos e a igreja de continuarem a proclamação do reino, e esta é a essência da pregação do evangelho. Cabe, hoje, à igreja o anúncio do reino de Deus em sua manifestação presente e em sua plenitude futura. É necessário que esta mensagem não deixe de ser anunciada. É urgente que proclamemos: O Rei está voltando! Importa que todos os que ouvem, e até mesmo os que anunciam esta verdade, se prostrem, se curvem, em sinal de submissão e honra ao Rei. Quem assim não fizer será punido como inimigo. Aqueles que se sujeitarem ao Rei da Glória reinarão com ele por toda a eternidade.

Autor: Prof. Anísio Renato de Andrade


Receba Estudos Biblicos todos os dias!
Cadastre-se seu e-mail! É Grátis
     Digite seu Email Abaixo
Emails Cadastrados

OBS: Não esqueça de confirmar seu email em seguida!