Os Reis De Israel
Davi - Um Governo Próspero!


I SAMUEL 16

Todos os governantes desejam ardentemente prosperar em suas administrações. Ter um governo aprovado pelo povo é a meta de muitos líderes políticos. Para isso, quando há eleições, geralmente os postulantes aos vários cargos apresentam suas propostas, oferecendo alternativas de prosperidade e desenvolvimento. Na maioria das vezes, são aquelas tão conhecidas "promessas eleitoreiras". Eles dizem o que farão, se eleitos, mas não dizem como cumprirão os seus programas.

Entretanto, há governos que são mais justos, honestos e promotores do desenvolvimento. Assim foi na época em que reinou Davi, pois apesar dos altos e baixos em sua vida e governo, pela misericórdia de Deus o seu governo foi próspero.

AMBIENTE HISTÓRICO

Davi, o filho mais moço de Jessé, bisneto de Rute e Boaz, foi ungido por Samuel o segundo Rei de Israel. Estava reinando Saul, mas o próprio Deus rejeitou este governo e mandou Samuel ir em busca de um novo rei (I Sm 16.1). Deus se arrependeu de haver constituído Saul rei de Israel, por causa de sua desobediência (I Sm 15.11,35).

Davi reinou 40 anos, sendo 7 em Hebrom e 33 em Jerusalém. Ele era pastor de ovelhas, músico, poeta, instrumentista, inventor de instrumentos, bom líder e repleto da presença de Deus. Graças à sua habilidade política, conseguiu captar a simpatia dos povos vizinhos e logo foi aclamado Rei em todo o Israel. Transformou Jerusalém no centro político e religioso de sua época.

Davi foi brilhante estrategista militar. Há uma feliz combinação em sua vida: bravura e dote de liderança.

Ele foi chamado o homem segundo o coração de Deus, mas mesmo assim cometeu pecados c falhas. Após a sua morte, em ditosa velhice, cheio de dias, riquezas e glórias, o povo ficou aguardando a chegada de um Messias que viria para continuar ajudando e defendendo a todos.

Portanto, o reinado de Davi é caracterizado por muitas vitórias, prosperidade e desenvolvimento. Cabe neste estudo apresentar algumas evidências reais desta administração tão bem sucedida, as quais precisam ser seguidas hoje pelos líderes políticos e por toda a Igreja de Cristo.

TOTAL DEPENDENCIA DE DEUS

Davi venceu o temível Golias, indo à luta não com os aparatos humanos, mas confiante na proteção e na força divina (I Sm 17.37,45). Os vários momentos de perigos foram enfrentados na completa dependência do Senhor. Em sua oração ele consulta ao profeta Natã para saber o que dizer e se submete completamente ao Senhor (II Sm 7). No final de sua vida reconhece que tudo vem de Deus e pertence ao Senhor (I Cr 29.10-16). Em Atos 13.36 ele é citado como alguém que serviu à sua própria geração conforme o desígnio de Deus. Como fruto desta dependência e submissão, Deus concedia a Davi constantes vitórias (II Sm 8.6,14).

Hoje é comum verificar líderes confiando em si mesmos, no dinheiro, nas máquinas, nos correligionários etc. Infelizmente, há um distanciamento enorme entre os governantes e Deus, o que tem causado o declínio destas administrações. É bom lembrar que Cristo disse que sem Ele nada é possível realizar (Jo 15.5).

BONS RELACIONAMENTOS INTERPESSOAIS

Davi sempre demonstrou ser uma pessoa amável e generosa, cultivando profundas amizades. Sua amizade com Jônatas era tão forte, que este o protegia das tentativas de morte planejadas por seu próprio pai (I Sm 19.1-7).

Conforme Loyd John Ogilvie "ele despendia um calor pessoal em seus relacionamentos com os outros. Porque Davi tinha um coração segundo o coração de Deus, havia espaço para um amigo. Davi era o tipo de pessoa que exercia uma atração magnética nas pessoas". Realmente, o seu governo alcançou muitas vitórias, pois a amizade e a fraternidade estavam presentes.

E comum verificar atualmente inimizades profundas entre pessoas e até famílias inteiras, por causa de ganância pelo poder. A "politicagem", a traição, as rivalidades e o despeito, têm favorecido estas inimizades que causam tantas tristezas, amarguras e até mortes. Só quando o bom relacionamento entre as pessoas prevalece é possível triunfar.

CORAÇÃO NÃO VINGATIVO

Verifica-se no reinado de Davi que por várias vezes ele foi perseguido, odiado e até ameaçado de morte, especialmente por Saul. Mas, o que aconteceu é que Davi foi quem teve várias oportunidades para acabar com a vida de Saul, mas ele não concretizou tal ato e declarou: "Não o mates, pois quem haverá que estenda a mão contra o ungido do Senhor, e fique inocente?" (I Sm 26.9-11). E interessante observar que, mesmo diante da morte de Saul, Davi sofre essa dor (II Sm 1.17-37). Ele estava sempre disposto a perdoar.

Este é o ensino deixado por Cristo em Mateus 5.38-48. Só com práticas semelhantes é possível triunfar sobre o mal (Rm 12.21 e I Ts 5.15).

E triste observar as conseqüências provocadas por pessoas que possuem corações vingativos. Aqueles que querem fazer justiça com as próprias mãos e acabam cometendo pecados gravíssimos. E preciso lutar pela preservação da vida, custe o que custar, seja em que circunstância for; pois, é de competência divina, fazer justiça no dia final (Ec 12.14).

VALORIZAÇÃO DO CULTO

Houve prosperidade no reinado de Davi porque um valor acentuado foi dado ao culto a Deus. Ele tomou todas as medidas cabíveis para trazer a arca da aliança para a cidade de Jerusalém, restaurando assim em Israel uma autêntica e viva adoração a Deus (II Sm 6.1-19;I Cr 13). Ainda mais, houve planejamento para a construção do majestoso templo de Jerusalém, o qual foi construído mais tarde por seu filho Salomão (II Sm 7.1-17). Havia em toda a administração davídica zelo pela vida religiosa do povo.

Quando o culto a Deus é valorizado pelos governantes e governados, há bênçãos divinas. Quando o povo se humilha, ora e busca ao Senhor, Ele atende e abençoa a terra (II Cr 7.14). Fala- se muito que o Brasil é um país cristão, mas será que o Cristianismo bíblico e reformado está presente nesta nação? O culto somente a Deus tem sido praticado pelos brasileiros?

RECONHECIMENTO DO PECADO

Não se pode olhar para Davi e seu reinado apenas pensando num super homem ou num reinado só de vitórias. Ele experimentou momentos de fraquezas e pecados. É possível observar em Davi imperfeições de caráter, adultério e homicídio. Ele foi repreendido de modo hábil e amoroso pelo profeta Natã e experimentou a graça do perdão divino (II Sm 11; 12.1-15; SI 32; 51).

Para J. J. Ogilvie "Davi foi chamado o maior santo e também o maior pecador do Antigo Testamento. Talvez seja por isso que o amamos tanto. Admiramos a sua força e compreendemos sua fraqueza."

A Bíblia é autêntica em apresentar o lado negativo de vários líderes do passado, mas sempre apontando para a recuperação da maioria deles. Mesmo sendo repreendido pelo profeta Natã, Davi não intenta mal contra ele. Pelo contrário, chega a dar a um de seus filhos o nome de Natã (I Cr 3.5). Ele recebeu a repreensão como sendo algo vindo do próprio Deus.

A soberba, a avareza, a ganância, o sexo etc., têm levado muitos a pecar. O sentimento de poder e de grandeza tem contribuído para que muitos se tornem insensíveis diante de seus erros. E tempo de arrependimento, confissão e perdão. Um governo e um povo que vivem na prática do pecado não podem prosperar.

DISCUSSÃO
- Davi instituiu uma religião oficial em todas as partes do seu reinado. A Constituição Brasileira assegura a liberdade de culto. No entender do grupo o que é mais viável?
- Davi foi um homem segundo o coração de Deus e cometeu graves pecados. Isto acontece conosco? Por que?
- Davi foi repreendido pelo profeta Natã. Como deve proceder aquele que também for repreendido?

| Autor: Pr Josias Moura | Divulgação: EstudosGospel.Com.BR |


Receba Estudos Biblicos todos os dias!
Cadastre-se seu e-mail! É Grátis
     Digite seu Email Abaixo
Emails Cadastrados

OBS: Não esqueça de confirmar seu email em seguida!