A morte é um acontecimento que afeta ao homem desde o começo de sua existência, e pelo decorrer dos séculos se tem tentado encontrar solução para o problema da morte.
O pecado não se apodera do coração repentinamente, senão aos poucos, Pedro, ainda que descuidou as vezes e caiu, soube levantar-se a tempo antes que fosse tarde demais. 
Busquemos o Senhor enquanto O podemos achar. Invoquemos o Seu nome enquanto Ele está perto. Consagremos hoje toda a nossa vida e tudo o que somos ao nosso Criador e alcançaremos felicidade total e completa! 
Nas vestes sacerdotais o cinto representa o seu zelo; a sobrepeliz e a estola, sua beleza e glória; o peitoral, que nossos nomes estavam escritos no seu coração; o urim e tumim, sua sabedoria para governar; a mitra sua santidade. 
O julgamento de Deus é imparcial e não muda: Cristo morreu para manifestar a graça e o amor de Deus, mas também a sua justiça. 
Temos que aprender a caminhar no verdadeiro caminho, o projeto de Deus para o homem é que ele ande com Jesus de olhos abertos e entendendo todas as verdades espirtuais. 
Fomos feitos para andar em comunhão, e produzir muito fruto. Isto envolve o aspecto prático de nos EDIFICARMOS (abençoarmos, ajudar, auxiliar) e nos MULTIPLICARMOS, alcançando outros que ainda não experimentaram o poder da vida do Corpo de Cristo. 
"Vi, na mão direita daquele que estava sentado no trono, um livro escrito por dentro e por fora, de todo selado com sete selos." Apocalipse 5.1 
Todos nós temos medo de nossos pecados. Medo de suas conseqüências. Medo de seus frutos, de seus reflexos. Das dores que pode nos causar a dor que causamos...