Estudo O Espírito Santo em Relação ao Salvo


“A respeito dos dons espirituais...” (1 Co 12:1)
A. Dons do Espírito (1 Co 12:4,8-10; Tg 1:17; 1 Pe 4:10,11; Rm 12:6-8).
 

1 - Dons de Revelação

a. Palavra da sabedoria (1 Co 12:8). Revelação ou expressão de Deus, análoga à ocasião. Aviso de Deus para uma orientação pessoal, pregação, direção, etc. Necessidade de conhecer e saber “como” (ver Ef 1:17-19; 3:5; 2 Pe 3:15; Tg 3:17; Gl 2:1,2; At 16:6,7; 15:28; 1 Co 7:40).
b. Palavra do conhecimento (1 Co 12:8). Inteligência, entendimento. Saber algo que Deus sabe, acerca de Deus, ou acerca de outras pessoas, ou situações, e que vem somente por revelação divina (1 Co 1:5; 2 Co 8:7; Ef 1:17; Hb 4:12, 13; 1 Jo 2:20, 27; Jo 1:48; 3:11; 11:14; At 10:19,20; 5:3).
c. Discernimento de espíritos (1 Co 12:10). Para distinguir, para julgar. É um dos dons de conhecimento. Para perceber claro (discernir), entender, distinguir os diferentes espíritos malignos (Vide 1 Tm 4:1; Lc 13:11-16; At 8:7; 16:16; Mt 9:32, 33).

2 - Dons de Poder.

São para demonstrar o Poder de Deus, dons que produzem sinais, prodígios e maravilhas.
a. Fé (1 Co 12:9). É um poder pelo qual Deus fala e traz à mente coisas que vão acontecer. Por meio deste dom, o Senhor Jesus realizou todos os Seus milagres, fez maravilhas, curas. É a palavra da divina autoridade. (Vide Mc 11:22,23; At 3:16; Jo 14:12, 13; 2 Ts 1:11).
b. Milagres ( 1 Co 12:10,28). Literalmente: energia poderosa, poder dinâmico, força divina. Um poder sobrenatural, que possa abater a operação natural (At 1:8; 2 Tm 1:7; Rm 15:19). Todos os milagres de Jesus são exemplos deste dom.
c. Dons de curar (1 Co 12:9,28). Literalmente: Livramento das doenças, das piores enfermidades, males incuráveis. (Vide Sl 103:1-3; Mt 8:16,17). Numerosos exemplos são encontrados nos Evangelhos e Atos dos Apóstolos.

3 - Dons de Expressão Vocal

Poder de pronunciação, de palavra. Expressão de idéias e emoções do próprio Deus (1 Co 1:5; 2 Co 8:7).
a. Profecia (1 Co 12:10). “Falar por outro”, falar claramente, anunciar. A pessoa que fala por inspiração de Deus é o profeta. Dar conselhos excelentes, divinos. Falar numa linguagem do poder do Espírito (Vide 1 Pe 1:11; 2 Pe 1:19-21; 1 Ts 5:20; Rm 12:6). O propósito deste dom é edificar, exortar, confortar, instruir, consolar (1 Co 14:3,4,31; Ef 2:20-22; 1 Tm 1:18; 4:14; 2 Tm 1:6; At 11:27,28). As profecias devem ser julgadas (1 Co 14:29). As passagens acima são justas e verdadeiras. Concordam com o escopo da Bíblia.
b. Línguas (1 Co 12:10). Linguagem angelical, espontânea, inspirada pelo Espírito Santo. Seu propósito: para sinais (Mc 16:17; 1 Co 14:21,22). Como evidência da presença do Espírito na vida dos salvos (At 2:4; 10:44-46; 19:1-6). Uma prova de que a pessoa fala com Deus (1 Co 14:2,14,15; Rm 8:26; Jd 20). Para a edificação pessoal (1 Co 14:4). Ao ser interpretada, vale como profecia (1 Co 14:5). Para edificação, no culto público (1 Co 14:12,13,26-28,39,40).
c. Interpretação de línguas (1 Co 12:10). Explicar, tornar conhecido o sentido da língua ou a sua significação. Quando interpretada, é o mesmo que profecia.

4 - A maneira correta do uso dos dons

Ou são usados com amor, ou serão ineficazes para a Igreja. (1 Co 13:1-13).

5 - O propósito dos dons sobrenaturais

a. Para “um fim proveitoso” (1 Co 12:7). Pra unificar o Corpo - os membros - da Igreja (1 Co 12:11-26; Ef 4:11-16). Para edificar a congregação (1 Co 14:3-5, 12,26). Para julgar (1 Co 12:24,25). Para ensinar e consolar ( 1 Co 14:31). Para o aperfeiçoamento dos santos (Ef 4:12, 13). Para oferecer sacrifícios espirituais (1 Pe 2:5). Para participar da natureza divina (2 Pe 1:3,4). Para assegurar a Sua presença em nós (1 Jo 3:24; 4:13). Para nos certificarmos de que o Espírito Santo é Quem testifica (1 Jo 5:6,7). Todos estes dons adornam a Igreja.
b. Para que o mundo veja. Sinais (Mc 16:15-18; Hb 2:4; 1 Co 14:22; Rm 15:18,19). Para manifestar a glória de Jesus (Jo 2:11; 1 Pe 4:11). Para confirmar a Escritura e aumentar a fé (Jo 2:22; 11:15; 14:11; 20:31). Para convencer e converter (1 Co 14:24,25; Jo 2:23; 4:45; 6:14; 7:31; 10:37,38; 12:18). Para testificar de Jesus (Jo 10:25; 1 Jo 4:2,3). Para a Glória de Deus (Mt 9:8; 15:30,31). Para a confirmação de Jesus como o Messias (Mt 11:2-6). Para mostrar a natureza compassiva de Jesus (Mt 14:14).

B. Dons de ministração (1 Co 12:5 - Ministérios; Ef 4:8-11; 1 Co 12:28; Rm 12:6- 8; 1 Pe 4:10,11).

1 - Apóstolos (Ef 4:11; 1 Co 12:28). Alguém enviado como mensageiro, ou agente, ou relator de uma comissão (Mt 10:1-8; Lc 9:1,2; 11:49; At 2:43; 5:12; Rm 1:1; 11:13; 1 Co 9:1-21; 2 Co 12:12; Hb 3:1; 2 Pe 3:2).

2 - Profetas (Ef 4:11; 1 Co 12:28). Alguém que fala em nome de outrem, uma testemunha ocular, uma pessoa divinamente inspirada, uma que prediz o futuro na verdade de Deus, expondo-a de modo seguro. (1 Pe 1:10-12; 2 Pe 1:19-21; 2 Pe 3:2; At 21:10,11; 1 Co 14:29,37; Ef 2:20; 3:5; At 2:17, 18;11:27; 13:1; 15:32; 21:9).

3 - Evangelistas (Ef 4:11; 2 Tm 4:5). Aquele que anunciava novas de grande alegria, um pregador (At 21:8).

4 - Pastores (Ef 4:11). Aquele que apascenta um rebanho, um guardião de Deus, um enviado (Uso variado nas igrejas, como Anciãos, Bispos, Diáconos).
a. Ministério. (Ef 4:12; Rm 12:7; 1 Tm 4:6; 2 Tm 4:5; 1 Pe 4:10,11). Literalmente, aquele que serve, que ministra, que representa munido de poderes.
b. Anciãos, Presbíteros (1 Tm 5:1,19; 1 Pe 5:1-4; Tg 5:14; 2 Jo 1; 3 Jo 1). Literalmente, pessoa de idade provecta, expementada (At 11:30; 14:23; 15:4; 20:17; 1 Tm 5:17; Tt 1:5).
c. Bispos (1 Tm 3:1-13; Tt 1:7-9). Literalmente: um dirigente, um guardião, inspetor, justo, moderador,(Fp 1:1).
d. Diáconos (Fp 1:1; 1 Tm 3:8-13). No Grego, a mesma palavra traduzida como ministro. Literalmente, aquele que serve.

5 - Doutores ou mestres. Equivalente a “Rabbi”. (Ef 4:11; 1 Co 12:28). Aqueles que instruem.

6 - Outros dons de ministração:
a) Socorros. (1 Co 12:28) os que ajudam ou assistem.
b) Exortação (Rm 12:8). Chamar, convidar, admoestar, persuadir, solicitar, implorar.
c) Repartir. Dar em partes divididas, transmitir, dispensar, conceder (Rm 12:8).

7 - Propósito desses dons (Ef 4:12-16; 1 Co 12:12-7).
C. Dons de operações (obras). Várias atividades do Espírito (1 Co 12:6).

1 - Na Regeneração. As atividades do Espírito Santo antes e durante a conversão.
a) Necessidade do Novo Nascimento (Jo 3:5; 1 Pe 1:23).
b) Convence do pecado, da justiça e do juízo (Jo 16:8-11).
c) Dá testemunho do senhorio de Jesus (1 Co 12:3; At 5:32).
d) Batiza (1 Co 12:13).
e) Renova (Tt 3:5).
f) Ensina o caminho da salvação (Hb 10:15-25).
g) Santifica e justifica (1 Co 6:11; 2 Ts 2:13; 1 Pe 1:2).
h) Convida (Ap 22:17).

A expressão cheio do Espírito refere-se à atividade do Espírito Santo na vida do crente em Cristo Jesus.

Autor: Pastor Napoleão Falcão
Fonte: www.centraldepregadores.com.br/napoleaofalcao/